Header Ads

Políticos são detidos por suspeita de envolvimento com a Odebrecht na República Dominicana

Ministro da Indústria e Comércio está entre os detidos. Construtora brasileira diz ter pago para obter concessão de contratos de obras de infraestrutura no país

Manifestante protesta contra esquema de corrupção da Odebrecht em imagem de arquivo de 22 de fevereiro (Foto: Ezequiel Abiu Lopez/ AP)
O ministro de Indústria e Comércio da República Dominicana, políticos de alto escalão e empresários foram detidos em Santo Domingo, nesta segunda-feira (29), por suspeita de ter recebido suborno da construtora brasileira Odebrecht. Onze pessoas foram presas, segundo a Reuters.

As prisões ocorrem após a procuradoria receber, em meados de maio, o conteúdo dos depoimentos de executivos da empresa a autoridades brasileiras, de acordo com a Associated Press.

Os executivos da construtora afirmaram a autoridades americanas e brasileiras que a Odebrecht pagou 92 milhões de dólares para conseguir a concessão de contratos de obras de infraestrutura desde 2001.

O ministro Temístocles Montás, integrante da Partido da Libertação Dominicana governando (PLD), foi encaminhado nesta manhã à sede da procuradoria junto com o ex-ministro de Obras Públicas Víctor Díaz Rúa, que durante sua gestão participou da negociação de vários contratos com a empresa. Rúa esteve no poder entre 2007 e 2012.

O ex-presidente do Senado e atual chefe do Partido Revolucionário Moderno (PRM, principal da oposição), Andrés Bautista, foi preso porque estava no poder na época da aprovação dos contratos.

Segundo a Efe, entre os detidos está ainda o empresário Ángel Rondón, que foi representante comercial da construtora na República Dominicana.

Do governo de Hipólito Mejía (2000-2004), foi privado de liberdade o ex-diretor da CDEEE e do Instituto Nacional de Águas Potáveis e Redes de Esgoto (Inapa), César Sánchez, de acordo com a France Presse.

Na República Dominicana, a Odebrecht foi contratada para realizar pelo menos 16 obras. Segundo os dados revelados pela empresa, a República Dominicana é o 3º país onde mais propinas foram pagas para conseguir licitações de obras e favores, com 92 milhões de dólares, ficando atrás somente do Brasil, com 349 milhões de dólares, e da Venezuela, com 98 milhões de dólares.

Do G1

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.