Header Ads

Radialista é preso por espancar mulher até abortar em Itaporanga

Radialista, de 47 anos, é natural de Patos, mas mora atualmente em Itaporanga, onde trabalha

Delegacia de Polícia (Foto: Da Net)
Um radialista foi preso, na última segunda-feira (03), em Itaporanga, por por agressão física e cárcere privado contra sua própria companheira, uma mulher natural da cidade paraibana de Areia de Baraúnas e que estava convivendo com ele havia um mês.

O radialista, de 47 anos, é natural de Patos, mas mora atualmente em Itaporanga, onde trabalha. 

Conforme o delegado Renato Leite, que foi quem procedeu o flagrante, a mulher que tem 29 anos, foi vítima de três crimes, entre os quais, lesão corporal grave. “O médico constatou que, em função das agressões, a mulher sofreu um sangramento e teve um aborto”, comentou o delegado, que encaminhou a vítima ao hospital ao perceber a gravidade do seu quadro de saúde. Ela chegou a delegacia com marcas de agressão, sangramento e com dificuldades de falar.

O delegado informou também que a mulher era mantida em cárcere privado e o acusado escondia a bateria do celular dela para que não tivesse contato com ninguém. Como não tem familiares em Itaporanga, ela viveu dias de sofrimento e apreensão, até que que, nesta segunda-feira, conseguiu encontrar a bateria do telefone e ligou para a mãe, que a orientou a ligar para a polícia. Os policiais foram até a casa, depois de prender o agressor na rua e constataram que a mulher estava trancada dentro da residência. Horas depois, a mãe da vítima chegou à cidade e passou a acompanhá-la.

Em seu depoimento, o radialista negou o crime e disse que os hematomas no corpo da mulher eram provenientes de uma queda que ela havia sofrido no banheiro, mas não convenceu o delegado, porque, conforme Renato Leite, há provas suficientes do cometimento de três delitos pelo radialista contra a sua própria companheira: lesão corporal grave, cárcere privado e ameaça. Depois de autuado em flagrante, ele foi recolhido à cadeia pública.

Em seu depoimento, a mulher disse que conheceu o radialista na cidade onde ela morava durante as eleições do ano passado e iniciaram um namoro, e tudo transcorria dentro da normalidade, mas, quando ela passou a residir com o homem em Itaporanga, começaram os problemas: ela era impedida de sair de casa, sofria ameaças e agressão. Depois da triste passagem por Itaporanga, a mulher, agora, deverá retornar ao convívio da família em sua cidade.

Do Wscom (com Folha do Vale)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.