Header Ads

Palmeiras perde nos pênaltis e é eliminado da Copa Libertadores

Jaílson chegou a dar sobrevida, mas Egídio errou cobrança decisiva

Palmeiras foi eliminado (Foto: R7)

O Palmeiras sabia que entraria em campo na noite desta quarta-feira (9) para o jogo do ano. Só não sabia que seria diante de tanto drama. O time venceu por 1 a 0 no tempo normal, mas perdeu nos pênaltis por 5 a 4 para o Barcelona de Guayaquil-EQU, em pleno Allianz Parque. Jaílson chegou a dar sobrevida nas penalidades, mas Egídio perdeu no fim e o Verdão caiu nas oitavas de final.

Jaílson esteve perto de escrever de vez seu nome na história do Palmeiras. Assim como Marcos e Fernando Praas, pegou o pênalti do camisa 10 Damián Díaz. Só não contava com os erros de Bruno Henrique e Egídio já nas alternadas.

Na próxima fase, a equipe equatoriana tem novamente uma brasileira pela frente e pega quem avançar de Santos e Atlético-PR. Os dois times se enfrentam nesta quinta, na Vila Belmiro. As datas das quartas ainda não foram confirmadas pela Conmebol.

O primeiro sinal de que as coisas não seriam fáceis veio depois de um lance aparentemente bobo, quando os equatorianos arriscavam pouco e amarravam o jogo. Aos 37 minutos do primeiro tempo, o zagueiro levou um pisão no pé esquerdo e teve de ser substituído. Edu Dracena entrou.

Insatisfeito com o primeiro tempo, Cuca colocou Moisés no lugar de Róger Guedes logo no intervalo. Deu muito certo. O camisa 10 enfiou uma bola para Dudu e apareceu na área para dar um lindo corte em Caicedo e chutar no fundo do gol de Banguera. Nem com o gol pareceu que o Verdão iria deslanchar no placar. A torcida empolgou, mas não conseguiu transformar o Allianz Parque em um temido caldeirão.

Como não seria mesmo nada tranquilo, Jonatan Álvez ainda acertou a trave. Pouco tempo depois, Keno fez o mesmo. O ritmo só não foi mais o mesmo porque Dudu, o motor do time, saiu machucado — o que também fez falta na decisão por pênaltis. Guerra entrou bem, mas sem nem metade da velocidade contra um time que corria contra o tempo. Foi o bastante para o time perder padrão tático e se perder em chutões. Os pênaltis estavam traçados. A confiança em Jaílson foi toda depositada e o goleiro fez sua parte. Ainda não perdeu com a camisa do Palmeiras.

Guerra, Tchê Tchê, Keno, Moisés converteram suas cobranças. Do outro lado, Jonatan Álvez, Matías Oyola, Castillo, Marcos Caicedo e José Ayoví fizeram a festa para tristeza da torcida palmeirense.

Do R7

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.