Header Ads

Joesley Batista chama Temer de 'ladrão geral da República'

Procurado pela TV Globo, o Palácio do Planalto informou que não iria comentar o assunto

O empresário Joesley Batista, dono da JBS, respondeu com duras críticas uma nota divulgada nesta sexta-feira (1º) pelo Planalto do Planalto na qual ele foi chamado de "grampeador-geral da República". Ao comentar o assunto, Joesley chamou o presidente Michel Temer de "ladrão geral da República".

O empresário afirmou, ainda, que a decisão de Temer de "atacar" delatores mostra a "incapacidade" do presidente de se defender "dos crimes que comete".

"Michel, que se tornou ladrão geral da República, envergonha todos nós, brasileiros", conclui Joesley.

Procurado pela TV Globo, o Palácio do Planalto informou que não iria comentar o assunto.
Joesley Batista (Foto: Da Net)

Entenda o caso

A assessoria de Temer divulgou uma nota nesta sexta para criticar as delações de Joesley Batista e do operador financeiro Lúcio Funaro.

Nessa nota, o Palácio do Planalto compara os dois acordos de delação e questiona se os benefícios concedidos ao doleiro serão o "perdão total" a que Joesley teve direito.

O Planalto chama Joesley de "grampeador-geral da República" e afirma que o delator escondeu e apagou áudios que estavam em seu gravador, mesmo assim ele continua com o "perdão eterno" do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

"Prêmio igual ou semelhante será dado a um criminoso ainda mais notório e perigoso como Lúcio Funaro?”, indaga o texto da Presidência.

Delações

Joesley e Lúcio Funaro citaram Michel Temer nas respectivas delações. O dono da JBS chegou a entregar gravação de uma conversa dele com o presidente na qual eles discutiram, segundo a PGR, a compra do silêncio de Eduardo Cunha.

Funaro, por sua vez, afirmou na delação que Temer sabia do esquema de corrupção que atuou na Petrobras e orientou a distribuição de dinheiro desviado da Caixa Econômica Federal.

A assessoria de Temer nega todas as acusações.

Íntegra

Leia abaixo a íntegra da nota divulgada por Joesley Batista:

A delação premiada é por lei um direito que o senhor presidente da República tem por dever respeitar. Atacar seus delatores mostra no mínimo a incapacidade do senhor Michel Temer de oferecer defesa dos crimes que comete. Michel, que se tornou ladrão geral da República, envergonha todos nós, brasileiros.

Do Wscom

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.