Header Ads

Cássio defende renovação e aponta nomes de Romero e Cartaxo para 2018

Ele acrescentou que a Paraíba precisa de algo novo para o futuro

Cássio Cunha Lima (Foto: Da Net)
O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) defendeu renovação nas eleições de 2018 e admitiu que pode abrir mão de ser candidato ao Governo do Estado em benefício de uma possível postulação do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), ou o de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD).

"Eu já tive a oportunidade de governar o estado por dois mandatos, disputei uma terceira eleição e temos novos nomes que surgem na política paraibana, principalmente com o prefeito Luciano Cartaxo e o prefeito Romero Rodrigues", afirmou.

Ele acrescentou que a Paraíba precisa de algo novo para o futuro. "A Paraíba talvez esteja encerrando um ciclo da sua política e possa ter necessidade de algo novo, e se isso for preciso obviamente estou disposto a não disputar uma eleição para governador e contribuir com esta unidade das oposições", explicou.

O senador também fez questão de comentar sobre críticas feitas pelo governador Ricardo Coutinho (PSB) ao seu mandato como senador da República. "Ele tem demonstrado uma fixação comigo. É o estilo dele, ele faz estes insultos e não fica bem. Faz isso para desviar os temas que deveriam ser debatidos, como a segurança pública, e ele foge destes temas pela incompetência que demonstra ter. Ele prometeu resolver o problema em seis meses, e já se passaram seis anos e continuamos em uma situação crítica. Ele é perseguidor, persegue os mais pobres, discrimina cidades inteiras pela preferência política de seus líderes. Esta é a forma atrasada dele de fazer política", finalizou.

Sobre Aécio

Cássio  disse que não se pode falar em impunidade no retorno do senador Aécio neves (PSDB) ao exercício. Na última terça-feira (17) O plenário do Senado decidiu reverter a decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) e, com isso, pôs fim ao afastamento parlamentar do senador. De acordo com Cássio, não há impunidade, tendo em vista que Aécio continua respondendo ao inquérito.

"Não há como falar em impunidade, porque o senador continua sob a jurisdição do STF, ele continua respondendo ao inquérito que eventualmente será transformado em uma ação penal, para que na ação penal, os ministros da suprema corte possam dar o veredicto em relação as acusações que são feitas contra ele. Acusações que são graves, das quais ele precisa se defender", disse Cássio.

Do Correio da Paraíba

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.