Header Ads

Com apoio de Cássio, Cartaxo assedia PP para abortar candidatura de Romero ao governo em 2018

Objetivo é gerar uma instabilidade para que Romero permaneça no cargo e deixe o espaço livre para a formação da aliança PSD/PSDB

Cartaxo e Cássio (Foto: Da Net)
As oposições na Paraíba tentam, mas não conseguem esconder o racha dentro do grupo. Depois do PMDB, que, além de estar dividido, já anunciou candidatura própria em 2018, agora é o PSD, do prefeito Luciano Cartaxo, que trabalha para dar uma rasteira nas pretensões do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB).

A estratégia já foi colocada em ação e passa pelo PP, da família Ribeiro.

Segundo uma fonte, ligada à prefeitura da Capital, o recente impasse gerado entre a deputada estadual Daniella Ribeiro (PP) e a gestão Romero (PSDB) foi uma articulação do Paço Municipal, em João Pessoa. O prefeito Cartaxo teria oferecido uma secretaria ao PP a fim de que o grupo Ribeiro desprezasse o espaço ofertado pelo prefeito Romero, na gestão em Campina Grande.

Seria também uma espécie de troco, dado por Cartaxo a Romero, para rebater a articulação que levou Eliza Virgínia à Assembleia Legislativa da Paraíba e acabou forçando a ida de Marmuthe Cavalcanti para Câmara de João Pessoa. Além disso, o objetivo de Cartaxo é gerar em Romero uma sensação de instabilidade para que ele permaneça no cargo até o final de seu mandato, em 2020, e deixe o espaço livre para a formação da aliança PSD/PSDB.

A pretensão do prefeito de João Pessoa é ganhar o apoio dos Cunha Lima, sem Romero, e continuar aliado ao PP.

Cartaxo disputaria a cabeça da chapa, como candidato a governador, teria o filho de Cássio, o jovem deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB), como vice, e Aguinaldo Ribeiro seria alçado como candidato ao Senado Federal.

Cássio, por sua vez, diz que estaria disposto a sair de cena e ficar fora da disputa de 2018, tanto para prestigiar o filho, quanto para minimizar a jogada contra Romero, numa espécie de consolo de que é melhor ‘um pássaro na mão do que dois voando’.

O senador, todavia, estaria utilizando a tese do desapego, como estratégia, justamente para forçar os outros (leia-se Romero) a também desapegar. Mas, nos bastidores, especula-se que Cássio pode, até mesmo, dá um passo para trás e disputar um mandato de deputado federal, e assim abrir espaços na chapa majoritária.

Veja a chapa em formação:

GOVERNADOR: Luciano Cartaxo (PSD) 

VICE GOVERNADOR: Pedro Cunha Lima 

SENADOR: Aguinaldo Ribeiro 

SUPLÊNCIA I: em aberto (para negociar) 

SUPLÊNCIA II: em aberto (para negociar) 

SENADOR: em aberto 

SUPLÊNCIA I: em aberto (para negociar) 

SUPLÊNCIA II: em aberto (para negociar) 

Do PB Agora 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.