Header Ads

PSOL define Tárcio como candidato ao governo em 2018

Apesar de não haver um veto a uma aliança com o PT, o partido já informou que pretende ter candidato próprio

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) está se encontrando durante todo este sábado (21), em João Pessoa, para definir a chapa majoritária de 2018, escolher a nova direção estadual e a delegação que irá representar a Paraíba no Congresso Nacional do partido. A definição da chapa aconteceu perto da hora do almoço, o nome será o de Tárcio Teixeira, o atual presidente do partido na Paraába e que já foi candidato em 2014 ao mesmo cargo.

Tárcio Teixeira será o candidato a governador pelo PSOL (Imagem: MaisPB)
Apesar de não haver um veto a uma aliança com o PT, o partido já informou que pretende ter candidato próprio, tanto em nível estadual, quanto nacional. A intenção é dar uma alternativa que esteja longe das acusações de corrupção e fora do status vigente, para o eleitorado paraibano e nacional

“Vamos ter candidatura própria ao governo da Paraíba e para a presidência do Brasil porque queremos apresentar uma alternativa independente, e classista, de representação socialista para o nosso país. E o PSOL é quem tem autonomia e não tem rabo preso. Temos condições de fazer esse enfrentamento e sermos centrais na reestruturação da esquerda brasileira”, entende.

Sobre os candidatos e partidos já postos na disputa para o ano que vem, Tárcio Teixeira pontuou que esses partidos “são grandes no tamanho e pequenos na política. Isso a gente tem que deixar bem claro. O PSOL pode ainda ser pequeno no tamanho, mas somos grandes na política. A gente tem tido uma referencia extremamente importante nesse período”, frisou.

Teixeira também fez referência aos candidatos e ao atual cenário político do estado. Atualmente existem pré-candidaturas de Luciano Cartaxo (PSD), João Azevedo (PSB), José Maranhão (PMDB), Cássio Cunha Lima (PSDB) e Romero Rodrigues (PSDB). Para presidente, dependerá da análise feita pelos eleitores o que eles irão escolher e o que querem.

“Será que quem já abandonou o povo da Paraíba numa eleição para prefeito, não abandona novamente? Será que o povo vai querer um representante de Temer, no caso de Maranhão, representando a Paraíba? Será que vamos querer um prefeito fake como governador da Paraíba, ou mesmo um vice que é aliado de Temer como prefeito de João Pessoa.? Eu acho que não. A população da Paraíba não quer isso, o povo de João Pessoa também não quer isso. Por isso, estamos apresentando a candidatura do PSOL como alternativa nas eleições de 2018”, ressalta, confirmando que o seu nome está a disposição do partido para compor a chapa majoritária do ano que vem.

Aliança com o PT

Tárcio também aproveitou para explicar a relação hoje entre o PSOL e o PT no estado.

“Em nenhum momento na Paraíba estivemos coligados com o PT. Fizemos uma dura oposição de esquerda ao governo lula e Dilma, mas fomos também duramente contra o golpe que foi apresentado pelo governo Temer. Por mais que tenhamos lutado contra o processo de terceirização que Dilma apresentou, contra a reforma da previdência que Lula apresentou a gente é contra (o atual governo) porque piora. Temer rasgar a nossa aposentadoria e quer uma terceirização ampla e irrestrita. Então não temos o PT como um dos ventos, mas não é a aliança prioritária do PSOL. Aqui na Paraíba a gente nunca esteve junto”, garante.

Do MaisPB

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.