Header Ads

Raniery rebate Manoel Júnior sobre destino do PMDB em 2018

Deputado discorda do vice-prefeito de João Pessoa e diz: "Prefiro não sentenciar o partido e ter projeto próprio"

Raniery Paulino (Foto: Da Net)
O deputado estadual Raniery Paulino (PMDB) rebateu as declarações do vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Junior (PMDB), de que o partido não deve se isolar nas eleições de 2018 e que o melhor para a legenda seria apoiar o melhor nome das oposições, aonde o peemedebista indicou o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) como candidato a governador. Para Raniery, nesta quinta-feira (23), o seu colega de legenda não deveria “sentenciar” o PMDB, pois o mesmo ocorreu nas eleições de 2014 e o resultado foi, em sua avaliação, mais do que satisfatório.

“Acho essa premissa de Manoel Junior muito interessante . A busca de alianças é normal e natural, desde que as alianças sejam feitas dentro de um nível programático. Isso tem sido um mantra nas minhas falas. Aliança tem que ser programática e não pragmática. Agora, em política, acho muito difícil sentenciar partidos. Eu prefiro não sentenciar o PMDB e ter um projeto próprio nosso. Pode, inclusive, conversar com outros projetos, mas nós devemos ter o nosso projeto próprio. E o projeto próprio do PMDB, aprovado na reunião da Executiva Estadual, foi pela candidatura própria. Manoel Junior está no direito dele de expor suas teses, o que é normal e a Executiva é quem delibera sobre o destino do partido. Por enquanto, a tese aprovada pela Executiva Estadual, que foi proposta de Raimundo Lira, é de candidatura própria, indicando o senador José Maranhão como nosso pré-candidato ao Governo. Então, eu estou trabalhando para isso”, declarou.

E relembrou o histórico de descrédito que os próprios filiados tiveram no PMDB, em 2014, ao serem dissidentes da candidatura de Vital do Rêgo Filho para governador. De acordo com Raniery, é um exemplo de prática de “sentenciar” o partido, algo que o próprio Manoel Junior fez naquela ocasião.

“Nas eleições de 2014 foi exatamente isso. Muitos apostavam, inclusive alguns parlamentares filiados preferiram se filiar ao projeto da candidatura do PSDB e do PSB, e não trabalharam para o projeto interno que nós tivemos. Naquele momento, muitos expectadores e até pessoas que militam internamente acharam  que seria o fim do PMDB. Na verdade, foi o partido que melhor se saiu, especialmente no âmbito legislativo. Nós fizemos três deputados federais, quatro estaduais e um senador. Nós só não ganhamos o governo, mas foi o PMDB quem decidiu, quando a maioria do partido apoiou a reeleição de Ricardo. Então mostra que aquelas  previsões de catástrofe dentro do PMDB não se concretizou”, refletiu.

Do Blog do Gordinho

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.