Header Ads

Trump derruba decisão de Obama e libera importação de troféus de caça de elefantes

Os ambientalistas, no entanto, dizem que as populações de elefantes estão diminuindo

Elefantes abatidos (Foto: Da Net)
O governo de Donald Trump anunciou que os caçadores de grandes animais – como os filhos do presidente Donald Jr. e Eric – poderão importar cabeças e outros troféus de caça de elefantes. A nova medida reverte uma proibição do ex-presidente Barack Obama, em 2014, para o Zimbábue e para a Zâmbia, segundo os jornais dos Estados Unidos.

A agência do governo federal US Fish and Wildlife Service (USFWS) informou que as importações poderiam retomar a partir desta sexta-feira (17) para os elefantes legalmente caçados. O órgão disse que as taxas cobradas podem ajudar na conservação dos animais ameaçados de extinção. A importação da Tanzânia continua proibida – na África do Sul e na Namíbia é permitida.

Os ambientalistas, no entanto, dizem que as populações de elefantes estão diminuindo. Os animais estão na lista de espécies ameaçadas desde 1978. Dado mais recente do Censo do Grande Elefante, feito por uma ONG em 2016, diz que a população desses animais caiu 30% em sete anos.

A USFWS diz que o esforço do governo do Zimbábue, fornecedores de safari e associações de profissionais de caça ajudou a tomar essa nova decisão com base no status da população atual de elefantes, que mostra que o "terreno melhorou muito". O órgão diz que o país africano tem mais de 80 mil elefantes, mas não informou aos jornais americanos qual era a população no ano da proibição de Obama.

Donald Trump Jr. e Eric são conhecidos por gostar de caçar – e muito criticados. Em imagem de 2012, os dois foram fotografados após a caça de um leopardo. A imagem estampou a capa de jornais. Jr. também foi flagrado após a caça de um elefante, em foto divulgada pelo "TMZ".

"Posso te garantir que não foi um desperdício. Os moradores do lugar ficaram muito felizes pela carne que não costumam ter. Muito gratos", respondeu Trump Jr à crítica de um usuário.

Do G1

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.