Header Ads

Strasbourg surpreende, e PSG perde pela 1ª vez com Neymar

O resultado não chega a colocar em risco a liderança do Campeonato Francês, pois o PSG acumula 41 pontos

Com o atacante brasileiro Neymar não muito inspirado e o centroavante uruguaio Edinson Cavani em ação apenas a partir dos 29 minutos do segundo tempo, o Paris Saint-Germain acabou surpreendido pelo modesto Strasbourg neste sábado, fora de casa. Perdeu por 2 a 1 e viu cair uma sequência de 25 jogos oficiais de invencibilidade (a última derrota havia sido em 30 de abril, por 3 a 1, para o Nice).

O resultado não chega a colocar em risco a liderança do Campeonato Francês, pois o PSG acumula 41 pontos ganhos, contra 31 do Olympique de Marselha, que só visitará o Montpellier no domingo. O Strasbourg soma 18 e distanciou-se da zona de rebaixamento.

PSG perdeu, mas se mantém na liderança do campeonato (Foto: Da Net)
O primeiro gol do jogo saiu aos 12 minutos do primeiro tempo. A defesa do PSG vacilou em cobrança de falta da esquerda, e o atacante Nuno da Costa, de Cabo Verde, teve liberdade para cabecear a bola para a rede e fazer a alegria dos torcedores do Strasbourg.

Mesmo sem repetir as suas melhores atuações, o PSG se lançou ao ataque a partir de então e começou a criar oportunidades de gol. Até chegar ao empate, aos 41 minutos, quando Neymar acionou Rabiot na esquerda. O cruzamento encontrou Mbappé dentro da área, e o novato concluiu para dentro.

Embora o PSG tenha tentado manter o ímpeto também no início do segundo tempo, foi o Strasbourg que chegou ao segundo gol. O goleiro Kamara chutou a bola para a frente, e Nuno da Costa escorou com a cabeça. Stéphane Bahoken levou vantagem na sequência do lance e chutou forte para recolocar os donos da casa em vantagem.

Nos minutos finais, o técnico Unai Emery mandou a campo Cavani, poupado até então, na vaga do argentino Di María. O italiano Verratti substituiu o alemão Draxler, e Lo Celso, mais um atleta da Argentina, ocupou o posto do compatriota Pastore.

Não adiantou. Apesar de ter tentado carregar o PSG rumo à vitória, correndo com a bola de um lado a outro do gramado, Neymar, tal qual os seus companheiros, não fez o suficiente para reverter o tropeço. Nem mesmo os nove minutos de acréscimo concedidos pela arbitragem mudaram a história da partida.

Do Terra

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.