Header Ads

‘Golpe da UTI’ volta a ser aplicado na PB e polícia alerta

Segundo delegado, uma pessoa registrou boletim da polícia afirmando ter sido vítima do golpe e suspeito foi preso no Mato Grosso

Imagem ilustrativo (Foto: Da Net)
Um golpe que aproveita a fragilidade das vítimas para se chegar à conta bancária está tentando ser aplicado entre pacientes de hospitais de João Pessoa Capital e de todo o país. O crime é antigo e já foi noticiado varias vezes, mas sempre volta à pauta. Segundo a polícia, uma pessoa registrou boletim de ocorrência em João Pessoa denunciando o caso.

No ‘golpe da UTI’, familiares de hospitalizados em estado grave, internados em unidades de terapia intensiva (UTI), recebem ligações telefônicas de pessoas pedindo dinheiro para a cobertura de exames e procedimentos não cobertos pelos planos.

A Unimed João Pessoa, por exemplo, reforçou o alerta de que essas ligações são tentativa de golpe e que não existe em seus hospitais próprios – Alberto Urquiza Wanderley e Moacir Dantas – a prática de pedir depósitos em dinheiro por telefone aos parentes de pacientes.

“Nenhum funcionário ou médico, sob qualquer hipótese, liga para o paciente ou familiar pedindo transferências bancárias ou depósitos em dinheiro. Quando é necessário algum tipo de contato com os parentes de pacientes internados, a ligação é feita através de uma chamada identificada e o cliente é convidado a comparecer a um dos hospitais para tratar do assunto pessoalmente. Ao chegar, conversará com um colaborador da Unimed João Pessoa devidamente fardado e com crachá de identificação”, explicou a Unimed.

O delegado de Defraudações de João Pessoa Lucas Sá explicou ao Portal Correio como o golpe é aplicado. “O golpe é praticado desde 2015, mas não é comum. Ele começou a ser aplicado com bastante frequência em 2017. Os golpistas se passam por pessoas do governo, do setor da saúde, fazem ligações para funcionários de hospitais se passando por essas pessoas e conseguem solicitar dados de pacientes que estão na UTI. Eles conseguem nome, telefone de parentes e o quadro clínico”.

Segundo Lucas, os bandidos agem de outros estados. “Quando eles vão atuar aqui em João Pessoa, por exemplo, fornecem, para pagamento, contas de outros estados, normalmente Mato Grosso, Acre, estados do Norte, Centro-Oeste, por ali, é o que temos nesse momento”, esclareceu.

O delegado ainda contou que, há 20 dias, uma vítima de João Pessoa compareceu à Delegacia de Defraudações da Capital para fazer a denúncia do golpe. “Há 20 dias, uma das vítimas do golpe da UTI foi na delegacia porque tinha feito o depósito naquele momento numa conta do Mato Grosso. Entramos em contato com a polícia de lá e o suspeito foi preso em flagrante fazendo o saque. Fora isso, constantemente há prisões”.

Lucas Sá orientou a população. “A orientação é que isso, de fato, é um golpe. Não existe nenhuma situação que o órgão estadual ou hospital ligue para que depositem dinheiro na hora”.

Orientações

Para ampliar a divulgação sobre a golpe, a orientação é que a pessoa que tenha um parente internado em UTI, apartamento ou acomodação dupla, avise a todos os seus familiares e amigos de que o hospital não fará contato telefônico pedindo dinheiro em espécie, depósito ou transferência bancária, mesmo que a internação seja particular e não pelo plano de saúde.

Do Portal Correio

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.