Header Ads

Candidatura de Merkel a chanceler é formalizada

A candidatura dela foi formalizada um dia depois da confirmação do acordo de coalizão de Merkel com os sociais-democratas

Angela Merkel (Foto: Da Net)
O presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, propôs nesta segunda-feira (5) formalmente a líder da União Democrata-cristã (CDU), Angela Merkel, como candidata a chanceler para uma quarta legislatura.

A candidatura dela foi formalizada um dia depois da confirmação do acordo de coalizão de Merkel com os sociais-democratas, após cinco meses de impasse

A chanceler deve ser reeleita pelo parlamento em 14 de março, data determinada pelo seu grupo parlamentar para a sessão de posse.

Merkel sublinhou nesta segunda a importância de o Executivo começar a trabalhar “rápido” e prometeu colocar todo seu empenho para responder às demandas dos cidadãos alemães e para fazer com que o país tenha também “uma voz forte” na Europa.

“Quase seis meses após as eleições legislativas de 24 de setembro, os eleitores têm o direito de esperar que algo aconteça finalmente”, disse.

“Vemos todos os dias que a Europa é muito solicitada, e que se faz necessária uma voz forte da Alemanha, ao lado da França e de outros Estados-membros”, afirmou.

Instabilidade

O acordo de coalizão demorou meses para ser alcançado, levando instabilidade ao país europeu. A Alemanha nunca tinha ficado tanto tempo sem governo após uma eleição parlamentar. O pleito foi realizado no fim de setembro.

Steinmeier, anterior ministro de Relações Exteriores e ex-dirigente social-democrata, contribuiu para destravar a formação de governo quando fracassou a primeira tentativa de Merkel de se aliar aos liberais e verdes após as eleições de setembro.

O então líder do Partido Social-Democrata (SPD), Martin Schulz, rejeitava reeditar a grande coalizão após o desastre eleitoral, mas Steinmeier fez uma chamada ao diálogo e à reflexão e descartou a repetição das eleições.

Schulz, pressionado também a partir do exterior, se abriu finalmente para negociar com o bloco conservador e assinou um acordo de grande coalizão que recebeu o apoio de 66% dos filiados e que será o programa de governo do futuro governo de Merkel.

No dia 19 de fevereiro deste ano, Merkel designou Annegret Kramp-Karrenbauer para o posto de número dois do partido conservador União Democrata-Cristã (CDU), o que a posiciona como sua possível sucessora no futuro.

Do G1

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.