Header Ads

Em jogo emocionante, Vasco vira nos acréscimos e elimina o Fluminense do Carioca

Fabrício fez o gol da vitória do Cruzmaltino na semifinal da competição

De virada, o Vasco desfez a vantagem do Fluminense e confirmou a presença na final do Carioca, domingo, contra o Botafogo, com a vitória de 3 a 2, no Maracanã. Giovanni Augusto e Paulinho marcaram para o Cruz-Maltino, mas o papel de herói da classificação coube a Fabrício. Pedro e Sornoza deixaram suas marcas, mas não foi suficiente. Com isso, Zé Ricardo mantém a invencibilidade contra Abel Braga: quatro vitórias e três empates.

Fiel ao esquema que levou o Fluminense ao título da Taça Rio e, consequentemente, à semifinal do Carioca, o Abelão foi surpreendido pela escalação de Zé Ricardo. Nada de 3-5-2 ou 4-3-3 dessa vez. Com cinco jogadores no meio de campo e Riascos isolado no ataque, o treinador tentou anular os alas tricolores.

Vasco está na final do Carioca (Foto: O Dia)
Pikachu, Wagner e Giovanni Augusto foram as novidades no setor de criação. Em desvantagem, o Cruz-Maltino foi obrigado a propor o jogo. A um empate da vaga na decisão, o Fluminense não se acomodou e o clássico ganhou em movimentação.

Se faltava plasticidade, Pikachu tratou a bola com carinho e, depois da caneta em Richard, cruzou rasteiro para Giovanni Augusto abrir o placar. O apoiador contou com a colaboração de Renato Chaves antes de fuzilar o gol de Júlio César, aos 26 minutos do primeiro tempo.

A vermelhidão no rosto de Abelão expressava nervosismo e o calor do jogo. Bradando por reação, o treinador, aliviado, celebrou, aos 38', o gol de Pedro, o sétimo no Carioca, depois bonita troca de passes entre Jadson e Gilberto.

Depois do susto, o Tricolor se esforçou para não jogar apenas pela proteção do regulamento. Em cobrança de falta, Sornoza, aos 3 minutos, aumentou a vantagem, contando com a ajuda de Erazo, que abriu a barreira.

Zé Ricardo recorreu ao antigo esquema e apostou em Paulinho e Andrés Ríos como solução no lugar de Wagner e Rafael Galhardo. Sornoza perdeu ótima chance de aumentar e decidir o clássico. Melhor para o Vasco. O chutaço de Paulinho da entrada da área não permitiu qualquer chance de defesa para Júlio César: 2 a 2, aos 24'.

O clássico ganhou em emoção. Martín Silva evitou o gol de Pablo Diego, e Júlio César, o de Paulinho. Como diz mantra crul-maltino, o Vasco é o time da virada. Aos 50', Fabrício cumpriu a 'profécia' ao soltar uma bomba indefensável. O gol da noite.

De O Dia

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.