Header Ads

Fabiano Gomes teria levado mala de dinheiro para ex-prefeito de Cabedelo; Radialista nega

De acordo com a delação premiada, o radialista e o secretário de Luceninha foram os encarregados de levar R$ 500 mil em uma mala 

Radialista nega acusações (Foto: Da Net)
O radialista Fabiano Gomes e Olívio Oliveira, então secretário municipal de Comunicação de Cabedelo, envolveram-se na suposta compra de mandato do prefeito Luceninha em novembro de 2013, segundo revelações de delator da Operação Xeque-Mate, deflagrada hoje (3) pela Polícia Federal.

Conforme mostra o documento abaixo, a informação sobre a participação de Fabiano e Olívio no esquema desbaratado pela PF está registrada na decisão do Tribunal de Justiça da Paraíba que autorizou 11 mandados de prisão preventiva de acusados por corrupção e organização criminosa na Prefeitura e na Câmara de Vereadores de Cabedelo.

De acordo com a delação premiada, o radialista e o secretário de Luceninha foram os encarregados de levar R$ 500 mil em uma mala para o então prefeito, que seria comprado ainda por mais R$ 1,2 milhão e R$ 70 mil reais por mês em cargos, ou seja, inclusão de pessoas a ele ligadas na folha de pessoal do município.

A Operação Xeque-Mate cumpriu ainda nesta terça-feira 15 sequestros de imóveis e 36 de busca e apreensão, um dos quais na residência do empresário Roberto Santiago, dono do Manaíra Shopping, sócio do Mangabeira Shopping e amigo do prefeito Leto Viana, um dos presos hoje pela PF.
O outro lado

Dos citados, o blog conseguiu contato com Fabiano Gomes, que se manifestou sobre o assunto com estas palavras: “As únicas vezes em que tive contato com Luceninha foi durante a campanha eleitoral que o elegeu em Cabedelo. Fiz o marketing da campanha dele e recebi por meus serviços, que fiz juntamente com Rui Dantas. Quanto a essa história aí, desconheço completamente”.
Dinheiro de Roberto Santiago

A participação do empresário Roberto Santiago, proprietário dos shoppings Manaíra e Mangabeira foi questionado, já que mandados de busca e apreensão foram cumpridas em sua casa no bairro do Bessa. Segundo o MP, Santiago é alvo de investigação em duas denúncias: o financiamento da compra do mandato de Luceninha e a compra de vereadores para votarem contra a construção do Pátio Shopping, no bairro de Intermares, há alguns anos.

Do Blog do Rubão

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.