Header Ads

OPINIÃO! Radialista enaltece cajado de dom Aldemiro e alfineta críticos do catolicismo

O papel do báculo (cajado) de dom Aldemiro

Radialista Rafael San (Foto: Da Net)
Era domingo. Estava na ‘colina sagrada’ do Memorial de Frei Damião, no alto da Serra da Jurema, em Guarabira. Naquele 27 de maio se realizava a 31ª Romaria do Servo de Deus Frei Damião, ícone das santas missões populares do nordeste brasileiro.

O bispo diocesano, dom Aldemiro Sena dos Santos, presidida a Santa Missa contemplada por milhares de fieis advindos de vários recantos nordestinos. Durante a homilia, vi e ouvi, pela primeira vez, a batida do báculo (cajado) do bispo. Ali, o pastor diocesano defendeu as tradições apostólicas e a doutrina católica com recados precisos aos que propagam ataques a religiosidade do povo católico. A liturgia do dia reverenciava a Santíssima Trindade e, com essa inspiração, dom Aldemiro cobrou respeito dos opositores ao explicar que a ação da Igreja se dá em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, e não por imagens de santos (que tem lugar respeitado e destacado na doutrina católica, mas nunca são adorados), numa menção direta aos grupos que ainda difundem tais ataques.

Na condição de pastor, essa é uma das atribuições do bispo, defende o rebanho e restabelece a ordem doutrinária. O salmo 23, ao exaltar o bom pastor, menciona essa certeza: “…porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam”.

Em todo contexto do salmo 23, e em toda história de Israel, e dos pastores da Palestina, o cajado ocupou papel destacado para a punição e proteção das ovelhas, no sentido de oferecer totais garantias de bem-estar ao rebanho.

Historicamente, o cajado tinha aproximadamente 3 metros de comprimento e tinha a ponta curvada, como um gancho, que servia para impedir a queda das ovelhas à beira de barrancos e penhascos. Quando uma ovelha caía em um buraco, o cajado era utilizado para erguê-la, pois a ponta curva, em forma de gancho, se encaixava no peito da ovelha que era elevada de volta ao caminho. As ovelhas não enxergam mais que 8 a 10 metros. Por isso o pastor sempre ia à frente com o cajado guiando-as por montanhas, vales, precipícios e penhascos, mantendo-as sempre no caminho seguro, evitando suas quedas ou afogamentos nas fortes correntezas.

Em meu coração palpitou uma esperança: “que dom Aldemiro utilize sempre seu báculo (cajado) para doutrinar o rebanho diocesano de Guarabira, ajustando os passos do clero, leigos e simpatizantes, garantindo a unidade da Igreja, mesmo que as vezes tenha que ser ríspido, mas que o seja para o bem geral das ovelhas”.

Por Rafael San (radialista da Guarabira FM)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.