Header Ads

Descoberta inédita letra de Machado de Assis para o hino nacional

Pesquisador Felipe Rissato encontrou os versos nas páginas de antigo jornal catarinense

Machado de Assis em foto descoberta pelo pesquisador Felipe Rissato na Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional de España - "Caras y Caretas" / Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional de España
Entusiasmado com Dom Pedro II, um jovem Machado de Assis escreveu uma letra para o hino nacional em homenagem ao Imperador. Desconhecidos até aqui, os versos compõem mais uma peça, ainda que pequena, do vasto quebra-cabeças machadiano. Descobertos pelo pesquisador Felipe Rissato, eles foram revelados neste sábado em uma reportagem do jornal "Folha de S. Paulo" neste sábado.

O pesquisador, que mora em Belém do Pará, já havia encontrado uma menção à obra em 2016, quando fazia uma pesquisa na hemeroteca digital da Biblioteca Nacional. Ao procurar referências a Machado de Assis no jornal catarinense "O Mercantil", deparou-se com uma nota de 1867 anunciando um espetáculo na cidade de Desterro.

Machado tinha então 28 anos e não havia ainda escrito as suas principais obras-primas.

— Na época, Machado ainda não era o grande Machado reconhecido por todos, por isso dificilmente o jornal teria mentido a autoria para valorizar o espetáculo — diz Rissato, que recentemente também descobriu a última foto conhecida de Machado de Assis, tirada poucos meses antes de sua morte.

Jornal O Constitucional com parte da letra do hino (Foto: O Globo)
Marcada para acontecer no dia seguinte, a festa iria apresentar o hino nacional com uma letra inédita composta por um certo Machado D'Assis (grafia adotada pelo Bruxo na juventude). Tratava-se de uma homenagem a Dom Pedro II, que fazia aniversário.

Foi preciso esperar dois anos para que Rissato encontrasse, em outro jornal catarinense do mesmo ano, um relato do espetáculo com a transcrição da letra. "O constitucional" publicou os versos em uma edição de 11 de dezembro de 1867. Eis a integra:

Das florestas em que habito

Em honra e glória de Pedro

O gigante do Brasil.


Enche o peito brasileiro

Doce luz, almo fervor

Ante o dia abençoado

Do grande Imperador


Das florestas em que habito

Solto um canto varoniil:

Em honra e glória de Pedro

O gigante do Brasil.


Em firme o trono sentado

O colosso Imperial

Tem por base de grandeza

O coração nacional.


Das florestas em que habit

Solto um canto varonil:

Em honra e glória de Pedro

O gigante do Brasil.

Correm anos, e este dia

Surge na terra da Cruz:

Abre-se a alma do povo

Jorra do Céu nova luz.


Das florestas em que habito

Solto um canto varonil:

Em honra e glória de Pedro

O gigante do Brasil.

De O Globo Online
Em 22.09.18, às 21h15

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.