Header Ads

Lucélio garante investimento hídrico e novos concursos no estado

Candidato ao Governo da Paraíba pelo PV, foi o quinto e último a participar da sabatina com todos os candidatos no programa Correio Debate, da Rede Correio Sat

Lucélio Cartaxo (Foto: Portal Correio)
O candidato ao Governo da Paraíba pelo PV, Lucélio Cartaxo, foi o quinto e último a participar da sabatina com todos os candidatos ao Governo do Estado que ocorre durante esta semana no programa Correio Debate, da Rede Correio Sat. Como destaque da entrevista desta sexta-feira (21), Lucélio afirmou vai investir em recursos hídricos e fazer concursos públicos.

Funcionalismo público – “No nosso entendimento é fazer política onde o funcionário seja respeito e muito importante. Não faço nada sozinho e para um governante ter essa parceria precisa valorizar o servidor. Quem ganha com isso é a população. Vamos manter a data base, embora exista a crise econômica no país. Vamos fazer concurso público, para modernizar a nossa máquina. São dez anos que não se faz concurso na procuradoria e um déficit muito grande. Um governo que faz mais com menos é eficiente. Não irei governar como o atual governo. Quero ter o funcionário público como nosso parceiro”.

“Tenho feito política conversando com as pessoas. Essa é a minha maneira de fazer política. Muitos policiais civis e militares que estão se aposentando falam comigo que quando mais precisam, na hora da aposentadoria, perdem 40% do seu salário. Irei sentar com os servidores e achar como resolver a situação. Não temos como fazer uma promessa que não vai entrar em prática. Iremos fazer um estudo e dialogar com as categorias, mostrando como a situação vai ser corrigida de maneira progressiva”.

Recursos hídricos – “Vamos pensar a segurança hídrica fazendo com que tenhamos condições de pensar água para possamos usar para consumo humano e animal. É inegável que temos que dar outro sentido a essas águas, é importante que ela gere emprego e renda para a população com a agricultura. É importante ter uso racional da água, sabermos acumular a água em períodos de chuva. Iremos gerar emprego e renda através da fruticultura. O canal Acauã-Araçagi já se passou oito anos e está ai sem conclusão. Iremos concluir para gerar emprego e renda”.

“Quanto a Cagepa, iremos cobrar eficiência. Nos últimos oito anos o governo atual aumentou em mais de 130% o valor das contas. Não iremos privatizar a Cagepa. Iremos fazer com que ela seja eficiente para que ela preste serviço a nossa população”.

Educação – “Infelizmente pela terceira vez consecutiva, ou seja, nos últimos seis anos, o Ideb faz um balanço da educação como reprovada no estado. 37% das escolas foram fechadas pelo atual governo, o que dificulta o acesso a educação. Vamos investir muito em educação, pensar ela como circulo virtuoso, que começa na base, com a creche. Quanto mais cedo a criança chega na escola melhor é o seu desenvolvimento”.

“João Pessoa e Campina grande atingiram as metas do Ideb. Cajazeiras e outras cidades também. Iremos investir e fazer parcerias com os prefeitos para que o estado possa oferecer qualidade na educação. Iremos levar a segunda língua para o interior do estado. Iremos levar inglês, francês, alemão, libras para o estado, possibilitando igualdade aos estudantes da Paraíba. Iremos trabalhar para que as crianças especiais tenham cuidadores nas escolas do estado.”.

UEPB – “Hoje, existe uma relação extremamente delicada entre o governo do estado e a UEPB. Vamos abrir diálogo com os dirigentes da UEPB, porque o atual governo, em oito anos, não conseguiu nem sentar para atender a categoria. A UEPB tem mais de 50 cursos e oito campi, mas os alunos que passaram agora se matricularam, mas tiveram a notícia triste que a UEPB não tinha estrutura para recebê-los. Iremos encontrar soluções de maneira conjunta com os servidores. Vamos cumprir a autonomia da UEPB e encontrar, de maneira conjunta, uma solução para o repasse de recursos”.

Habitação – “O sonho da casa própria é fundamental na vida de todo cidadão. Iremos fazer uma casa própria com muita qualidade. O que é público tem que ser tão bom quanto é o privado. Queremos levar as experiências de João Pessoa e Campina Grande para todo o estado. Iremos buscar parcerias com o governo Federal para que possamos oferecer contrapartida para construção de novas casas e melhorar a situação do estado”.

ICMS – “A política de geração de emprego e renda é fundamental em qualquer país e em todos os estados. Aqui a situação é ainda mais grave. Precisamos de uma política objetiva. Temos através do programa ‘Primeiro Negócio’ capacitar os nossos jovens e a partir dessa capacitação oferecer microcrédito, através do Banco Cidadão, para que ele possa abrir o seu negócio. Iremos fazer com que ele possa sustentar a família. O outro processo é fazer com que através da agricultura possamos gerar emprego e renda da fruticultura”.

“O estado tem aumentado com muita frequência o ICMS e impostos. Cobrando taxas. Vamos mudar essa política fazendo com que a Paraíba possa ser um estado favorável ao investimento, mantendo o microempresário e o médio empresário. Sempre converso com os empresários e o que observamos é uma coisa absurda: os cidadãos trabalhando com seus mercadinhos gradeados com medo da violência. É uma inversão de papéis. Tivemos mais de mil estabelecimentos comerciais fechados na Paraíba nos últimos anos”.

Segurança – “O governo atual criou uma expectativa há oito anos dizendo que iria resolver a segurança pública em seis meses. Se criou uma expectativa muito forte. A Paraíba de hoje deixa muito a desejar na segurança pública”.

“Vamos realizar concurso público de verdade, não em véspera de eleição como o atual governo faz. Os últimos dois concursos para segurança foram em época de eleições. Nós temos 8,5 mil policiais militares, mas por lei são necessários 18 mil. Temos menos na metade do que é necessário. Temos um policial trabalhando por quatro”.

“Vamos valorizar as delegacias. Na Região Metropolitana 1 milhão de pessoas moram e apenas quatro delegacia funcionam durante à noite. Na Zona Rural é de que as pessoas não possuem liberdade e fecham as portas às 18h, botando animais para dormirem na cozinha com medo de bandidos levarem. Tem gente saindo do campo para morar na cidade por conta dessa falta de segurança. Vamos investir muito em segurança, fazer concurso e chamar os aprovados”.

“É necessário levar cultura e esporte para que a nossa juventude tenha outro caminho e não acabe indo para o mundo das drogas, destruindo a vida das famílias”.

“O que aconteceu no PB1, que foram jogadas bombas e invadiram, qual foi a ação do helicóptero da PM no momento? Ninguém viu e todo paraibano se pergunta onde ele estava. Não podemos fazer marketing com segurança pública. Quando existe algum evento o helicóptero está lá sobrevoando. Isso não adianta. Temos que investir em concurso, política preventiva de segurança e comunicação interna entre a polícia. Helicóptero não resolve o problema de segurança pública. Ninguém resolve o problema sem admitir que ele existe”.

Saúde – “Existe uma contradição no governo atual. Temos os hospitais de Trauma de João Pessoa e Campina Grande, onde um funciona com administração de Organização Social (OS) e outro não. Tem que ver qual o resultado disso para saber qual a melhor administração. Algo muito estranho está acontecendo. Iremos buscar eficiência para apresentar uma saúde de qualidade para a população”.

“É a transparência pública que vai nos dar acesso aos números da saúde e dos gastos com a OS. A Paraíba é o terceiro pior em transparência pública do país. É uma dificuldade para se obter número do estado. Iremos investir muito em transparência pública”.

“Iremos realizar o Hospital de Trauma do Sertão. Não dá mais para o sertanejo passar quatro horas na estrada para ser atendido aqui em João pessoa ou Campina Grande. Iremos desafogar o atendimento em João Pessoa e Campina Grande para que população do Sertão tenha um atendimento mais perto de casa”.

“Iremos revitalizar os hospitais regionais da Paraíba. As pessoas são atendidas de acordo com a cor partidária. Se for ligado ao governo o atendimento é mais rápido. Iremos fazer com que os regionais façam cirurgias seletivas. Iremos descentralizar a saúde”.

Duodécimo – “Alguém já ouviu questionamento por parte da Câmara Municipal para a Prefeitura de João Pessoa com relação ao duodécimo? Não. O duodécimo é lei. Iremos tirar do papel a comissão interpoderes, o que só existe no papel. Aquilo que é direito de cada poder será repassado. Iremos dialogar e encontrar soluções de forma conjunta”.

Do Portal Correio
Em 21.09.18, às 18h57

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.