Header Ads

MARANHÃO: “Nunca um presídio na PB foi assaltado dessa maneira, com essa ousadia”

O candidato foi questionado sobre outras áreas econômicas da sociedade, como a Educação

Zé Maranhão critica insegurança na Paraíba (Foto: Da Net)
O candidato ao governo da Paraíba, José Maranhão (MDB), saiu em defesa dos paraibanos e criticou o governo Estadual por causa da fuga na Penitenciária de Segurança Máxima PB1, nesta segunda-feira (10). Ele foi o primeiro candidato entrevistado durante esta semana pela TV Cabo Branco e PB.

“A questão da violência está extrapolando os limites”, iniciou o candidato. Apesar de que, o índice de violência da Paraíba nunca diminuiu em governo algum, como foi revelado na entrevista. Nos governos de José Maranhão, de acordo com matérias citadas na entrevista, também não houve queda. Segundo ele, esses índices foram combatidos, o que não ocorre no atual governo.

“Nós criamos planos, perseguimos essas metas, o que não vemos no governo atual, que não modifica nada”, criticou. Em relação ao outros temas abordados, Maranhão foi cauteloso com as alianças da chapa. Um dos fatos observados foi que o candidato se utilizou da imagem do ex-presidente Lula (PT) na última eleição. Mas, na campanha atual, Maranhão disse que não está usando a imagem de Michel Temer (MDB), apesar de tê-lo apoiado no impeachment da ex-presidente Dilma Rouself e ter votado contra medidas econômicas que beneficiem o povo.

“Eu sou anterior no partido ao Temer. Eu não posso assumir os erros do nosso governante. Nem todas as medidas dele apoiamos. Muitos itens da Lei trabalhista, votei em algumas apenas. A Reforma da Presidência, também não concordei com ele. Temer não é candidato. Não tem popularidade. Usei a imagem de Lula porque ele veio aqui, apoiou meu nome”, declarou.

O candidato foi questionado sobre outras áreas econômicas da sociedade, como a Educação. Maranhão negou ter sido convocado pela Associação de Professores para discutir seus planos de governo com essa categoria. “Se tivesse sido chamado para conversar, teria ido com o maior prazer, mas não houve convite nenhum”, afirmou.

Terceirização – Diante de um quadro de ruídos que apontam o candidato do MDB como apoiador ferrenho da terceirização dos serviços, Maranhão negou ser a favor de terceirizar serviços como os hídricos. Mas em relação à Saúde, ele disse que o erro estava na forma de administrar, não em quem administra.

“Quando eu digo que os contratos de gestão devem ser analisados. Na minha época fazíamos economia, não precisamos terceirizar nada. Hoje quadruplicou o orçamento dos dois hospitais de Trauma da Paraíba. Os leitos do Trauma de João Pessoa são mais caros, apesar do mesmo orçamento de R$ 13 milhões. Mas o leito de Campina custa um quarto do de João Pessoa. Então se em um hospital há economia, porque no outro não pode haver?”, finalizou.

Da Redação PB Debate
Em 10.09.18, às 13h

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.