Header Ads

Participaram do debate Zé Maranhão, Lucélio Cartaxo, João Azevêdo e Tárcio Teixeira

Candidatos debateram na Rádio Arapuan FM (Foto: MaisPB)
Candidatos ao Governo do Estado debateram propostas e se enfrentam durante debate no Arapuan Verdade, da Rede Arapuan de Rádios, nesta segunda-feira. João Azevêdo (PSB), José Maranhão (MDB), Lucélio Cartaxo (PV) e Tárcio Teixeira (PV) apresentaram seus planos para as áreas da saúde, educação, segurança pública e economia.

O primeiro a perguntar foi o candidato João Azevêdo (PSB). Ele questionou ao candidato do MDB, José Maranhão, sobre suas propostas para a infraestrutura de estradas. O emedebista ressaltou suas ações quando governador e afirmou ter sido pioneiro na construção de estradas vicinais. Segundo Maranhão, se eleito, em sua gestão serão realizadas obras de mobilidade e conexão entre as regiões da Paraíba.  Maranhão ainda pontuou que continuará com obras que foram iniciadas no Governo de Ricardo Coutinho (PSB). Já o socialista garantiu que, em sua gestão, o Governo seguirá ampliando estradas e citou a ligação entre os municípios de Tavares e Nova Olinda, São José dos Cordeiros e Livramento.

O candidato do Psol, Tárcio Teixeira, indagou  Lucélio Cartaxo (PV) sobre suas propostas para enfrentar a corrupção e fez uma ligação entre seus partidos aliados, suspeitos de irregularidades. Lucélio defendeu os seus colegas de chapa e disse que investirá em transparência para combater a corrupção.  Ele aproveitou para alfinetar o Governo do Estado, ao afirmar que a Paraíba é o quarto pior estado do país em transparência. Entretanto, Tárcio partiu para o ataque e disse que não vê transparência em algumas ações envolvendo a gestão da cidade de João Pessoa, como o ‘Caso Lagoa’ e acusou a Prefeitura de perseguição a candidato do Psol que tem cargos na Capital. Lucélio afirmou que Tárcio parece “uma metralhadora giratória”.

Por sua vez, José Maranhão questionou João sobre uma possível disparidade entre os valores de custeio de leitos nos hospitais de Trauma de João Pessoa e Campina Grande. O socialista afirmou que não há diferença e que os valores são equivalentes. Segundo ele, o custeio da unidade hospitalar de Campina gira em torno de R$ 3 milhões, o que garante oferta de serviços de saúde de qualidade à população. Na réplica, Maranhão destacou que relatórios do Tribunal de Contas do Estado apontam a disparidade, o que, segundo ele, é fruto da privatização da unidade hospitalar da Capital. Na tréplica, João reafirmou que os valores são equivalentes.

Em sua pergunta para Tárcio Teixeira, Lucélio Cartaxo o questionou sobre propostas para geração de emprego na Paraíba. Tárcio destacou a necessidade de investir em cultura, turismo, além de incentivar pequenas e médias empresas. Em sua resposta ele ainda citou o potencial da Paraíba para se tornar a maior produtora de Canabis com fins medicinais. Na réplica Lucélio afirmou que pretende criar o programa ‘Cresce Paraíba’, estimular o empreendedorismo entre jovens e garantir condições para que o setor produtivo se instale na Paraíba. Ele aproveitou para criticar a política de aumento de impostos.

Em seguida Lucélio questionou João sobre suas propostas objetivas para segurança pública. O candidato do PSB ressaltou a redução da taxa de homicídios nos últimos sete anos e aquisição de equipamentos para Polícia, afirmando que a política de segurança funciona no estado. João garantiu ainda que irá investir na inteligência e centrais de controle. Ao rebater João, o candidato do PV citou o baixo número de delegacias em funcionamento, crimes patrimoniais e assegurou que segurança pública será sua prioridade, caso eleito. João criticou “a visão restrita” de Cartaxo e o orientou a pesquisar sobre o tema, ao afirmar que segurança pública não se faz apenas com repressão.

Fechando o segundo bloco, Maranhão questionou Tárcio Teixeira sobre a terceirização dos serviços nos hospitais da Paraíba, através da contratação de organizações sociais. Tárcio considerou que Maranhão não tinha como criticar as medidas tomadas pelo atual governo do Estado já que é aliado e vota favorável a proposta do presidente Michel Temer (MDB), que prepara um pacote de privatizações de estatais. O candidato do Psol afirmou que, eleito, irá acabar com todos os serviços privatizados no setor público. Maranhão se defendeu e disse que não votou e é contra privatizações de órgãos como a Petrobras e Eletrobras.

Experiência política, Várzeas de Sousa, alianças

Iniciando o terceiro bloco, João Azevêdo questionou Lucélio sobre as experiências em políticas públicas administrativas que ele teria para poder pleitear o governo do Estado. Lucélio respondeu que começou nos movimentos estudantis, foi presidente de partido, da CBTU, do Porto de Cabedelo e do projeto Picolé de Manga, alfabetizou crianças na Capital paraibana, e como candidato já obteve mais de 500 mil votos para senador. João considerou que, diante do currículo apresentado por Lucélio, o cargo de governador exigiria que o candidato tivesse mais experiência. Entretanto, Lucélio reagiu e lembrou que para um dos cargos foi nomeado pelo governador Ricardo Coutinho.

Em seguida Tárcio Teixeira provocou Maranhão sobre a ligação dele com o presidente Michel Temer e lembrou que o emedebista votou favor das mudanças nas leis trabalhistas e a favor do impeachment da ex-presidente Dilma. Maranhão avaliou que Tárcio apresentou um “caráter inteiramente radical” e lembrou lembrou que muitos políticos que hoje compõem a esquerda votaram contra o ex-presidente Fernando Collor, mas que mesmo assim não são acusados de “golpistas”. Tárcio continuou os ataques e acusou Maranhão de ter ajudado a “rasgar a CLT”.

O ensino bilíngue e investimentos em educação foram tema da pergunta feita por Lucélio Cartaxo a José Maranhão. O emedebista destacou a necessidade do aprimoramento da educação e ampliação do ensino profissionalizante, com instalação de escolas para preparar jovens para o  mercado de trabalho em cada município. Lucélio revelou que pretende implantar o Celest Paraíba, com ensino de quatro idiomas, para ofertar à população a possibilidade de aprender uma segunda língua. Ele aponta o programa como um diferencial para o mercado de trabalho. Maranhão revidou ao afirmar que o ensino de língua é importante e cobrou estatísticas referentes ao tema.

Tárcio Teixeira foi indagado por João Azevêdo sobre suas propostas para garantir segurança hídrica aos paraibanos. O candidato do Psol disse que é possível garantir qualidade da agricultura familiar com cisternas de placas e pequenos açudes. Outra prioridade de Tárcio será cobrar das empresas um programa de reaproveitamento de água. Em sua resposta ele questionou o candidato do PSB sobre a situação da adutora de Itaporanga, ainda não entregue. Para João Azevêdo, a segurança hídrica não será resolvida com pequenas obras, apesar de elas serem importantes. Segundo ele, a adutora de Itaporanga, assim como as adutoras de Diamante e Conceição já estão prontas.

Da Redação – MaisPB
Em 03.09.18, às 21h45

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.