Header Ads

Zé Dirceu critica gestão Temer e dispara: “Presença do Brasil hoje no mundo é zero”

Questionado se hoje o país vive uma ditadura, o ex-ministro afirmou que há semelhança entre os períodos

Zé Dirceu está em João Pessoa (Foto: Wscom)
O Brasil nem é respeitado, não conta mais no mundo. A presença do Brasil hoje no mundo é zero”. Essa foi a frase usada nesta sexta-feira (21) pelo ex-ministro de Lula, José Dirceu, durante entrevista coletiva em João Pessoa, antes do lançamento do seu livro, ao criticar a gestão do presidente Michel Temer (PMDB). Dirceu afirmou que o emedebista está desconstituindo os avanços sociais e mesmo econômicos que o país obteve durante o governo petista.

“Estão desarmando os sindicatos e retirando o direito de trabalhadores, jogando o peso da crise econômica e social sobre os trabalhadores e protegendo os privilégios das elites que não aceitam nem a redução dos juros, nem uma reforma tributária”, afirmou Dirceu.

Questionado se hoje o país vive uma ditadura, o ex-ministro afirmou que há semelhança entre os períodos.

“O militar já está querendo opinar sobre a política, sobre o que o legislativo deve ou não fazer, os candidatos, o que o judiciário pode ou não fazer, o que é gravíssimo; já não basta o judiciário usurpado o poder do legislativo e do executivo, dando cobertura”, continuou.

Sobre o livro:

Dirceu está em João Pessoa para lançar o seu livro “Zé Dirceu – Memórias Volume I”, que figura entre os mais vendidos do país. A obra foi editada pela Geração Editorial e já vendeu 30 mil exemplares e está sendo um sucesso de crítica. O lançamento ocorre no Sindicato dos Bancários, às 19h, com sessão de autógrafos e debate sobre a obra.

José Dirceu escreveu o livro na prisão e narra bastidores inéditos de sua militância estudantil nos anos 1960, o exílio e o treinamento para ser guerrilheiro em Cuba, a cirurgia plástica que mudou seu rosto, a vida clandestina no Brasil nos anos 1970, a volta à legalidade com a anistia, em 1979, e sua ascensão no Partido dos Trabalhadores, no qual se tornou presidente e maior responsável pela eleição de Lula à Presidência da República. Pela primeira vez ele revela segredos dos bastidores da luta política dentro do PT e do próprio governo, em que foi chefe da Casa Civil e seria o provável sucessor de Lula, até ser abatido pelas denúncias do “Mensalão”.

No primeiro volume de suas Memórias – outro virá, com novas revelações – ele expõe o que jamais foi dito sobre sua vida e sobre os principais líderes da política brasileira nos últimos 50 anos. Um livro imprescindível para se entender como foi a luta contra a ditadura militar, a redemocratização, a derrubada do presidente Fernando Collor, a oposição aos governos de Fernando Henrique Cardoso, a eleição de Lula e Dilma e o atual momento político do país.

Do Wscom
Em 21.09.18, às 14h33

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.