Header Ads

COLUNA A. SANTOS! Editor de Fato a Fato disserta sobre o futuro do MDB na PB

O futuro do MDB da Paraíba

Caríssimo (internauta) leitor;

Antonio Santos (Foto: Da Net)
É claro que, por conta da inoperância programática e ideológica, do golpe aplicado contra a democracia em 2016, da falsidade doentia exercida pelo presidente Michel Temer e sua indiscutível impopularidade, além de outras insanidades vis, tudo isso disseminado pelo MDB nacional, o partido na Paraíba foi, por tabela, atingido literalmente.

Logo após o “Golpe de 2016”, quando Temer orquestrou tudo e, ao lado do PSDB (adversário secular) conseguiu tirar a presidenta Dilma do Poder, o MDB começou a se esfacelar nos estados, não sendo diferente em solo paraibano, perdendo três deputados federais, um senador da República e uns seis parlamentares estaduais, além de outras importantes lideranças.

Não poderia e não tinha como um partido da escala do MDB, velho nas disputas eleitorais, sobreviver incólume e altivo após ser “condenado pelo povo brasileiro” como um dos principais (ao lado de PSDB, DEM, entre outras) artífices do “Golpe de 2016”. E não deu outro resultado. Saiu das urnas de 2018 extremamente fragilizado, inclusive na Paraíba.

Mas o partido está “morto” em terras tabajaras? Claro que não! Por aqui, suas principais lideranças não estão envolvidas em escândalos como a Lava Jato e similares. Isso, por si só, já é uma grande vantagem, sobretudo para quem quer se soerguer diante de um eleitorado exigente e capaz de diferenciar o joio do trigo.

O futuro do MDB da Paraíba começa pelo pensamento firme, independente e corajoso de figuras como Roberto Paulino e seu filho, o deputado Raniery (único reeleito do partido para a ALPB em 2018). Tanto Roberto quanto sua cria “comeram o pão que o diabo amaçou” na eleição passada, mas tiveram a ousadia de não se deixarem associar à figura “golpista” de Michel Temer, único “presidente” da história da República do Brasil com mais de 80% de impopularidade.

Essa estratégia, de não se associar à impopularidade de determinadas figuras políticas (mesmo elas sendo de mesmo partido), só faz quem tem coragem, inclusive sabendo que sofrerá represálias, como ocorreu com Roberto e Raniery Paulino. O filho foi eleito e o pai só não conseguiu êxito para o Senado porque teria sido “tragado” pela falta de estrutura de campanha, inclusive a financeira.

Portanto, tanto Raniery Paulino quanto seu pai serão figuras de proa para soerguer o MDB na Paraíba. Evidente que precisarão de muito trabalho, ousadia nas ações e o aval imprescindível do senador José Maranhão. Aliás, se o atual presidente quiser um futuro melhor para seu “velho PMDB”, terá de se desprender das antigas práticas, como fez em certa parte da campanha eleitoral de 2018.

A mudança de comportamento será crucial para o “novo MDB” paraibano. Ainda há gente que pensa dentro da legenda. E não será preciso que os “velhos líderes” deixem o partido. Eles serão muito úteis para a configuração de opinião. No entanto, o eixo ideológico, as ações partidárias, os métodos de campo, o pensamento e a prática funcional terão de ser outras. 

Quem quer sobreviver no mundo político atual, se reinventa. Pensar e fazer igual os outros é prática suicida. 

O MDB paraibano tem de começar pelas bases, voltando com bancadas de vereadores fortes, prefeitos compromissados com a gestão, a honestidade e o bem comum, deputados estaduais independentes, federais combatentes e senadores úteis. Assim o partido poderá, novamente, chegar ao Palácio da Redenção nos braços do povo e, quem sabe, voltar ao Palácio do Planalto sem precisar ser artífice de golpe algum.

Um forte e sincero abraço a todos. Paz e bem!

ANTONIO SANTOS – Editor de Fato a Fato
Contatos com a Coluna: 99365-1823 (WhatsApp)
Em 01.12.18, 00h09

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.