Header Ads

‘Quem é o Bolsonaro pra julgar um educador’, afirma Haddad em Portugal

O petista foi recebido na Casa do Alentejo, em Lisboa, Portugal, por membros da esquerda portuguesa e brasileira

Fernando Haddad (Foto: Da Net)
O ex-prefeito Fernando Haddad (PT-SP) está em viagem pela Europa com o ex-governador Tarso Genro (PT-RS) em uma frente internacional de solidariedade e mobilização contra a extrema direita. Nesta terça-feira (22), os petistas foram recebidos na Casa do Alentejo, em Lisboa, Portugal, por membros da esquerda portuguesa e brasileira.

Tarso Genro, ex-governador do Rio Grande do Sul, e ex-ministro da Educação, das Relações Institucionais e da Justiça, foi quem iniciou o discurso. Ele começou falando sobre a fortificação das relações internacionais da esquerda brasileira e também criticou o discurso do presidente Jair Bolsonaro no Fórum Econômico Mundial em Davos.

Nós achamos por bem preparar uma viagem e nos articular com dois países que são fundamentais para o desenvolvimento do nosso partido, Portugal e Espanha. Chegamos na Espanha, uma visão ampla de articulação política e lideranças extraordinárias, importantes de centro, centro-esquerda, de esquerda, e aqui também em Portugal. Nós da esquerda brasileira temos um ciúme terrível da direita portuguesa(…)’ brincou Genro.

‘Nós estamos aqui para dar este depoimento, este informe para todos vocês, para que a gente retome o ânimo e o carisma, particularmente em Portugal e Espanha articulando com o Brasil uma rede de resistência, de formação, de combate ideológico de princípios para nos contrapormos ao fascismo e a degradação completa dos direitos sociais e direitos fundamentais que estão sendo tiradas por este presidente que não conseguiu fazer um discurso agora em Davos, balbuciou coisas incompreensíveis. Que nós sejamos compreensíveis, profundos, e ativos.’ finalizou.

Muito aplaudido pelas mais de 100 pessoas que estavam no evento, Fernando Haddad também iniciou o discurso de aproximadamente 30 minutos ironizando Bolsonaro em Davos. ‘Eu vou falar um pouco mais de seis minutos se vocês permitirem, que é o padrão estabelecido pela presidência da República atual’ brincou.

O ex-prefeito de São Paulo agradeceu a recepção do público presente no evento e demonstrou que está disposto a concorrer a próxima eleição presidencial em 2022. ‘A gente teve a nítida sensação entrando aqui de que nós ganhamos a eleição, e é assim que tem que ser para ganhar a próxima, não é? Não podemos sair de cabeça baixa de uma eleição, sempre de forma altiva, sempre encarando os desafios que tem pela frente, que não são pequenos.’ afirmou.

Do Wscom
Em 23.1.19, às 10h36

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.