Header Ads

MP de Contas responsabiliza Geraldo Medeiros e outros 2 por prejuízo de R$ 451 mil no Trauma

No parecer, o Ministério Pùblico de Contas solicita que o secretário estadual da Saúde, Geraldo Medeiros, o superintendente do Trauma, Walderi Ferreira da Silva, e o diretor-geral da unidade, Leonardo de Lima Leite, respondam solidariamente pelo prejuízo e providenciem a devolução dos recursos

Secretário Geraldo Medeiros (Foto: Reprodução/ClickPB)
Parecer sobre inspeção especial de acompanhamento de gestão na Secretaria Estadual de Saúde (SES), emitido pelo do Ministério Público de Contas, do Tribunal de Contas do Estado, revela irregularidades na compra de gêneros alimentícios no Hospital de Emergência e Trauma, em João Pessoa, com prejuízo de R$ 451 mil. As irregularidades teriam ocorrido no ano de 2019, durante a gestão do Instituto Acqua (Ação, Cidadania, Qualidade, Urbana e Ambiental) no hospital, Organização Social que sucedeu a Cruz Vermelha Brasileira (CVB) na gestão da unidade de saúde após a deflagração da Operação Calvário, do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba.

No parecer, o Ministério Público de Contas solicita que o secretário estadual da Saúde, Geraldo Medeiros, o superintendente do Trauma, Walderi Ferreira da Silva, e o diretor-geral da unidade, Leonardo de Lima Leite, respondam solidariamente pelo prejuízo e providenciem a devolução dos recursos aos cofres públicos da Paraíba.

Parecer sobre inspeção especial de acompanhamento de gestão na Secretaria Estadual de Saúde (SES), emitido pelo do Ministério Público de Contas, do Tribunal de Contas do Estado, revela irregularidades na compra de gêneros alimentícios no Hospital de Emergência e Trauma, em João Pessoa, com prejuízo de R$ 451 mil. As irregularidades teriam ocorrido no ano de 2019, durante a gestão do Instituto Acqua (Ação, Cidadania, Qualidade, Urbana e Ambiental) no hospital, Organização Social que sucedeu a Cruz Vermelha Brasileira (CVB) na gestão da unidade de saúde após a deflagração da Operação Calvário, do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba.

No parecer, o Ministério Pùblico de Contas solicita que o secretário estadual da Saúde, Geraldo Medeiros, o superintendente do Trauma, Walderi Ferreira da Silva, e o diretor-geral da unidade, Leonardo de Lima Leite, respondam solidariamente pelo prejuízo e providenciem a devolução dos recursos aos cofres públicos da Paraíba.


Do Paraíba Rádio Blog
Publicada por F@F em 30.06.2020

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.