Header Ads

Polícia investiga cantora gospel suspeita de pirâmide

Ela e o marido, que também se apresentam como traders, são donos da plataforma de investimentos. Há pessoas que perderam mais de R$ 150 mil

David e Isabela teriam aplicado esquema de pirâmide que prejudicou centenas de pessoas. (Foto: Arquivo pessoas/Reprodução)
João Pessoa (PB) - A polícia investiga uma mulher suspeita de aplicar golpes na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Segundo as vítimas, os cantores gospel Isabela Cristi Gomes Barros, de 28 anos, e o marido David Robson de Barros, de 33 anos, são donos de uma plataforma de investimentos no estilo pirâmide.

Além de artistas, eles também se apresentavam como "traders". No mercado financeiro, são os profissionais que realizam transações diárias de compra e venda, especialmente na bolsa de valores.

Quem aplicava o dinheiro tinha a promessa de receber muito mais em pouco meses, mas não foi isso que aconteceu.

“Infelizmente hoje caí em um arrependimento e estou sem o dinheiro”, disse um homem que não quis se identificar. Ele investiu cerca de R$ 150 mil no esquema.

Em nota, a Polícia Civil informou que há um inquérito aberto na delegacia de Lagoa Santa contra Isabela Cristi pela prática de estelionato. A corporação não informou porque David Robson ainda não está sendo investigado. Todas as pessoas que se sentiram lesadas devem registrar ocorrência e fazer uma representação.

“Eu fui recebendo R$ 1 mil, R$ 1,8 mil, R$ 2,5 mil, então eu fui tendo credibilidade na I&D Investimentos. Aí fui chamando mais pessoas, muitos, eu passei ‘carão’ porque muitos falaram, ‘isso é pirâmide’”, disse ela que convenceu cerca de 80 pessoas a entrarem no negócio.

O cliente que entra investe um valor com a promessa de receber um "bônus" sobre os recursos aplicados por pessoas que ele indicar. No Brasil, esta prática é proibida.

Vida de luxo nas redes sociais

Nas redes sociais, o casal tem junto mais de 120 mil seguidores e ostenta uma vida luxuosa.

A proposta do casal parecia interessante. Investir o dinheiro na empresa e 40 dias depois ter 100% de lucro. Para algumas pessoas, uma promessa ainda maior: 200%, 300% e até 400% de retorno.

Segundo os investidores, até maio do ano passado o pagamento era feito em dia. Depois disso, quem tinha alguma quantia a receber ficou no prejuízo.

Em grupos de redes sociais são pelos menos 300 vítimas que reclamam que não receberam o dinheiro prometido pelo casal. Algumas pessoas já procuraram a polícia. Em um boletim de ocorrência, um homem disse que investiu R$ 12 mil e que não recebeu nada de juros.

O MG2 procurou Isabela Cristi e David Barros, mas eles não quiseram gravar entrevistas. Por mensagem, ela respondeu que a empresa está passando por uma auditoria interna para verificar os pagamentos que foram feitos.

Em uma das mensagens, Isabela disse que foi roubada por ex-funcionários. Ela também falou que está sofrendo ameaças, chantagens e que o casal é vítima de uma campanha de difamação.

Do MG2 com ClickPB
Publicada por F@F em 08.04.2022

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.