Header Ads

Acusados pela morte do ex-prefeito de Bayeux são condenados a 20 e 24 anos de prisão

O assassinato ocorreu no dia 9 de dezembro de 2020, por volta das 9h, na Avenida Sapé, bairro de Manaíra, na Capital

Juri foi realizado em João Pessoa (Foto: Reprodução)
João Pessoa (PB) - Foram condenados, nessa quinta-feira (7), no 1º Tribunal do Júri da Comarca de João Pessoa, os acusados de planejar e assassinar o ex-prefeito de Bayeux  Expedito Pereira. José Ricardo Alves, sobrinho de Expedito foi condenado a 20 anos de prisão, e  Leon Nascimento a 24 anos.

O cumprimento da pena deve ser em regime fechado.

Expedito Pereira foi morto após ser baleado, em João Pessoa. A vítima andava sozinho pelo bairro de Manaíra, quando um homem em uma moto se aproximou e atirou nele, fugindo logo em seguida. O motivo do crime está relacionado a questões financeiras e patrimoniais

O assassinato ocorreu no dia 9 de dezembro de 2020, por volta das 9h, na Avenida Sapé, bairro de Manaíra, na Capital.

Conforme a denúncia do Ministério Público estadual, José Ricardo Alves, sobrinho da vítima, foi acusado de ter arquitetado o crime, e Leon Nascimento dos Santos, o executor e réu confesso. Também foi acusado Gean Carlos da Silva Nascimento, que está foragido. Ele recorreu da decisão de pronúncia, e não foi submetido ao julgamento dessa quinta-feira.

O Ministério Público apontou que a vítima foi atacada de surpresa, enquanto caminhava distraída, incidindo a qualificadora do recurso que impossibilitou a defesa do ofendido. O crime foi cometido para evitar que os bens da vítima vinham sendo dilapidados, incidindo a qualificadora do cometimento do crime para assegurar a execução, ocultação, impunidade ou vantagem de outro crime, segundo o MP.

Do Wscom
Publicada por F@F em 08.04.2022

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.