Header Ads

ENTREVISTA! 'Temos fogo e muita admiração’, diz Flávia Alessandra sobre casamento

Atriz, que está há 14 anos com Otaviano Costa, fala da relação com o marido e as filhas e também revela detalhes de sua carreira

Flávia Alessandra (Foto: Dessa Pires, Bruno Larsson)
Flávia Alessandra é a entrevistada desta semana da coluna. A atriz, que interpreta a Helena em 'Salve-se Quem Puder', fala sobre a vida de artista, seu lado mãe leoa e o casamento de 14 anos com Otaviano Costa: "Temos fogo e muita admiração. Acho que é por isso que deu tão certo e continua dando". A única reclamação é que o marido anda ocupado em São Paulo gravando seu novo programa, então o casal passou a se ver menos - algo até então inédito na relação. Flávia abre o jogo, ainda, sobre o assédio na profissão. Confira a entrevista!

COLUNA - Helena é uma mulher misteriosa e bem-sucedida. Teve o primeiro encontro com a filha Luna e não a reconheceu e até tratou ela mal. O que vai ser dessa relação? Dá para dar um spoleir?
FLÁVIA - Sendo muito sincera, eu queria que você me desse um spoiler (risos). Eu estou morrendo de curiosidade aqui também. Essa é a primeira personagem que eu aceitei sem saber, de verdade, a real intenção dela. O Daniel (Ortiz, autor) não me adiantou nada sobre esse mistério da Helena.

COLUNA - Flávia, você é um atriz que vem emendando vários trabalhos. O que te faz dizer 'não' para uma personagem?
FLÁVIA - Dificilmente eu falo 'não' para trabalho. Essa é a verdade. Gosto muito do que faço e entendo que sou uma funcionária da casa. Teve apenas uma vez que eu disse 'não' de cara, mas me convenceram e mudei de ideia (gargalhadas). Mas eu disse 'não' porque tinha acabado de me casar com Otaviano, estava em lua de mel e era para começar meio que no dia seguinte. Aí tive que mudar todos os nossos planos, mas deu tudo certo no fim.

COLUNA - Fala uma curiosidade de Flávia Alessandra como mãe que ninguém imagina? E outro como mulher?
FLÁVIA - Eu sou mãe clichê total (risos). Sou aquela que quer saber onde está, o que está fazendo, com quem... Gosto de ser presente, de conversar, de saber o que estão vivendo e pensando. Existe aquela imagem de que os famosos vivem uma realidade paralela. Nesse quesito, não tem nada de diferente do que outras mães. Sou leoa quando o assunto são elas. Como mulher, nossa... Difícil. Eu adoro ter um tempo só meu. Eu comigo mesma, sabe? (risos). Tenho muitas plantas em casa e amo ficar cuidando delas.

COLUNA - Você tem ciúmes da sua filha mais velha por ela ser uma mulher bonita?
FLÁVIA - Zero ciúme. Tenho muito orgulho da mulher que ela se tornou. Para mim, ainda a vejo como a minha menininha. E acho que será sempre assim. Acho que vai mais pelo lado da preocupação. Eu me preocupo sempre com o bem-estar e segurança dela e da Olívia.

COLUNA - A gente vê uma Flávia Alessandra bem desenvolta no programa do Otaviano. Já pensou em ser apresentadora?
FLÁVIA - Quem sabe não é uma possibilidade, né? (risos). Eu sou muito feliz como atriz, mas gosto bastante de me comunicar. Se fosse um programa sobre um assunto que eu goste, por que não?

COLUNA - Você e Otaviano estão completando 14 anos de casados, bodas de marfim e sempre demonstram muito paixão. A relação ainda tem aquele fogo?
FLÁVIA - Graças a Deus (risos). Tem que ter fogo, né?! Temos fogo e muita admiração. Acho que é por isso que deu tão certo e continua dando.

COLUNA - Você é uma atriz que não é de aderir movimentos nas redes sociais, mas volta meia se posiciona, coloca sua opinião sobre determinados assuntos. Procede? Por que essa postura?
FLÁVIA - Eu acho as redes sociais um campo minado, sabe? Amo a possibilidade de me conectar com as pessoas, de trocar sobre meus trabalhos e minha vida até. Só que não acho o melhor lugar para aprofundar assuntos. Vejo que existe uma dificuldade de interpretação muito grande nos dias de hoje. E tem também uma turma que já tem a interpretação dela antes mesmo de você dizer qualquer coisa. Aquilo que poderia gerar um diálogo, um debate, muitas vezes, acaba se tornando apenas trocas mensagens ofensivas e de ódio. Não quero isso.

COLUNA - Recentemente , você deu uma entrevista sobre assédio e revelou que chegou a recusar trabalhos por suspeitar de um intenção não muito bacana no início da carreira. Você era muito nova e como percebia?
FLÁVIA - Infelizmente o assédio é uma realidade. O que me anima, de certa forma, é ver que não estamos mais caladas diante desse tipo de situação. É preciso falar sim. Não tem como ter espaço para assédio nos dias de hoje. Lá atrás, quando nova, foi um feeling. Uma abordagem que fica naquele limite, sabe? Aquele limite que você até pensa: "Será que é coisa da minha cabeça?". Preferi, nesse caso, seguir a minha intuição. Mais velha, quando eu sentia uma pontinha de dubiedade numa abordagem, já cortava.

COLUNA - Você tem duas filhas que parecem ser bem diferentes. Quem parece mais com você?
FLÁVIA - Nossa, acho que, em termos de temperamento, todas nós somos diferentes (risos). Olívia é mais na dela, tem outro tempo. Giulia é mais expansiva. Uma é muito calorenta. A outra já é friorenta (risos). Mas isso é muito bom, porque a gente se completa.

COLUNA - O que você faz de verdade para manter a boa forma?
FLÁVIA - Não tem nenhum segredo e nenhuma mágica. Alimentação saudável e exercício físico. E eu gosto de me exercitar.

COLUNA - Você se cobra muito com relação à aparência?
FLÁVIA - Eu não me cobro não. Envelhecer faz parte da vida. O que eu quero é ter saúde e disposição. É claro que eu me cuido, faço alguns procedimentos estéticos. E acho legal ter esses recursos a nosso dispor. Mas não faria nada radical não.

COLUNA - Dá para ter bons amigos no meio artístico? Quem são seus amigos de verdade?
FLÁVIA - Claro, assim como em outras áreas. Tenho amigos de verdade, pessoas que eu gosto muito. E tenho uma turma grande, por isso, prefiro nem citar (risos). Para acabar não esquecendo de ninguém. São 30 anos trabalhando na mesma empresa, que bom que fiz bons amigos.

COLUNA - Você disse que já fechou a fábrica. Verdade? Tem vontade de ser avó?
FLÁVIA - Verdade. Nossa fábrica fechou. Você precisa ter tempo para cuidar e dar atenção. Sobre ser avó... ainda não (risos). Posso esperar mais uns anos.

COLUNA - Quais são as vantagens e as desvantagens de ser casada com uma pessoa do meio artístico?
FLÁVIA - Nós somos muito parceiros. Não posso falar pelos outros. No nosso caso, nós nos entendemos muito, compreendemos a profissão um do outro. Somos o apoio um do outro. Não consigo ver desvantagens. Mesmo. A única reclamação é que tenho é que agora Otaviano está gravando o 'Extreme Makeover', do GNT, em São Paulo, há um mês e a gente está se vendo muito pouco (risos). Nunca vivemos isso.

COLUNA - Recentemente a Giulia fez uma foto em frente a geladeira e só se comentavam sobre a eletrodoméstico gigante. Já viu a geladeira Kim Kardashian West. Seria você uma nova Kim?
FLÁVIA - (Gargalhadas) Eu que lute para ser a nova Kim. Brincadeiras à parte, nem é um objetivo mesmo meu. Eu sou muito feliz com o que eu tenho, com o que eu construí. Tanto na vida profissional quanto pessoal. Não sou aquela pessoa que olha para a grama do vizinho e a acha mais verde. Sou bem abençoada com tudo o que tenho.

Por Patrícia Oliveira/Colunista de O Dia
Publicada por F@F em 15.03.2020, às 11h33

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.