Header Ads

Sobe para 6 número de mortes em naufrágio no Amapá

Outras 46 pessoas foram resgatadas. Navio transportava entre 60 e 70 passageiros e teve problemas na madrugada de sábado

Navio Anna Karoline III (Foto: Redes Sociais)
Subiu para 6 o número de mortos no naufrágio de um navio no Sul do Amapá, informou o Corpo de Bombeiros do Brasil neste domingo (1º). São cinco mulheres e um homem. Outras 46 pessoas foram resgatadas e as buscas seguem em andamento – a embarcação tinha de 60 a 70 pessoas.

O naufrágio do Anna Karoline 33 ocorreu na madrugada de sábado (29), próximo à Ilha de Aruãs e à Reserva Extrativista Rio Cajari, no Rio Jari (veja no mapa abaixo). A região fica a 130 km de Macapá, em uma região de difícil acesso e comunicação – o chamado de socorro foi às 5h, e o helicóptero de resgate do governo do estado só chegou ao local por volta das 14h.

As buscas por sobreviventes, que haviam sido suspensas por volta das 19h30 do sábado, foram retomadas às 6h deste domingo. Estão no local 18 mergulhadores de resgate dos Bombeiros do Amapá e Pará, além de duas embarcações da Marinha do Brasil.

Inicialmente, o Corpo de Bombeiros havia informado que havia 16 desaparecidos. Mas, neste domingo, o comandante da corporação, coronel Janary Picanço, disse que não há um número oficial, pois a embarcação não tem uma lista de passageiros para orientar as buscas da corporação.

Entre as vítimas, duas já foram identificadas: Sudelma Araújo e Marlene Souza Alves. Todos os corpos encontrados serão transportados à Macapá em um avião da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Segup) do Pará, afirmou o comandante.

"A gente está buscando agilizar a remoção dos corpos que foram encontrados para que a gente possa fazer necropsia , identificação e entrega desses corpos a família", disse Picanço.

Vanderleia Mendes Monteiro, de 45 anos, sobreviveu junto com o marido e o filho. Segundo ela, tudo aconteceu em poucos segundos após uma embarcação tentar ancorar ao lado do navio. Para escapar, a família saiu pela janela e escalou a lateral do barco, o que ela definiu como uma cena de filme.

A partir das 14h deste domingo começa a funcionar no 5º Grupamento Bombeiro Militar (5º GBM), em Santana, um centro de acolhimento e informação para atendimento das famílias dos desaparecidos. A orientação é que parentes repassem no local informações que facilitem na identificação das vítimas.

"Nós estaremos com um centro de acolhimento e informação montado no 5º GBM, em Santana, para que a gente possa receber os familiares dessas pessoas que estão sendo dadas como desaparecidas para que a gente possa catalogar essas informações e prestar um auxílio inicial", disse o comandante.

As causas do acidente ainda não foram divulgadas. O comandante da embarcação contou à Marinha que um vento forte atingiu a embarcação, e derrubou passageiros na água. Um inquérito foi instaurado para investigar o caso.

A empresa dona do navio, Erlonave, informou que a embarcação estava alugada para um terceiro, e que não sabe as causas do acidente, e que se solidariza com os sobreviventes e os familiares das vítimas.

O Anna Karoline 3 saiu por volta das 18h de sexta-feira (28) de Santana, no Amapá, em direção a Santarém, no Pará. A viagem entre as duas cidades dura em média 36 horas. A previsão de chegada em Santarém era às 6h de domingo (1º).

As buscas são feitas por duas embarcações da Marinha, com apoio de mergulhadores do Corpo de Bombeiros e moradores. A prefeitura de Almeirim (PA) enviou uma balsa com equipe médica, alimentos, mantas e medicamentos para auxiliar no trabalho.

Do G1 Amapá
Publicada por F@F em 01.03.2020, às 15h05

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.