Header Ads

Padre deseja morte de fiéis que não vão a Igreja durante pandemia; Veja vídeos

Durante celebração de missa, o religioso afirmou que as pessoas que não são do grupo de risco da Covid-19 estão usando a doença como desculpa e não possuem fé

Padre Antonio Firmino Lopes (Foto: Reprodução/Época)
O padre Antônio Firmino Lopes Lana, da Paróquia de São João Batista, no município mineiro Visconde do Rio Branco, desejou a morte de fiéis que não estão frequentando a igreja em razão da pandemia do novo coronavírus. O religioso afirmou que aqueles que não integram o grupo de risco e mesmo assim optaram por ficar em casa não possuem fé.

"Aí a gente vai vendo quem realmente ama a eucaristia... Porque tem alguns católicos, engraçado, que têm saúde, têm tudo e dizem: 'Eu só vou na Igreja quando tiver a vacina'. Tomara que não apareça vacina para essas pessoas. Ou que morram antes de a vacina chegar, não é?", disse o padre.

A declaração ocorreu durante a celebração de uma missa no último domingo (23). A cerimônia foi transmitida ao vivo pelo perfil da paróquia no Facebook. A fala do padre repercutiu nas redes sociais.

Em vídeo que circulou no Twitter, o padre ainda afirmou que os fiéis que não têm problema algum e não são do grupo de risco usam a pandemia como uma desculpa. Mais de 115 mil pessoas morreram em decorrência da Covid-19 no Brasil até o momento e mais de 3,6 milhões foram infectadas.

"Porque tem pessoas que não têm problema nenhum, que não estão no grupo de risco. Mas isso significa que não têm fé nenhuma, essas pessoas", disse.

Após o episódio, dezenas de comentários na página da paróquia repdiaram as declarações do padre.

"Não irei sair da minha casa pra ir ouvir uma barbaridade dessas. Ao invés de prosperar, evangelizar, pregar a palavra fica desejando morte das pessoas que ele nem sabe o motivo de não ir [...] mas se ele me deseja isso eu desejo o bem pra ele e ele foi infeliz nesse comentário espero que ele reconheça e estude mais sobre a palavra de Deus porque tem muito a aprender. A gente só pode ensinar quando sabe", escreveu uma usuária.

Outro internauta foi sarcástico:

"Então eu vou morrer. Sou católico e por fobia não estou saindo da minha casa, medo de pegar essa doença e passar para os idosos ou familiares da minha casa ( faço somente mandatos no meu bairro para familiares idosos).Não há importância padre!".

O padre se posicionou por meio de vídeo publicado nesta terça (25) na página da paróquia no Facebook. O pároco pediu desculpas pelo "comentário infeliz" e afirmou que aqueles que o conhecem sabem que ele defende a vida. Disse ainda que também é "fraco" e "pecador" e que as pessoas vão reconhecer seu erro e perdoá-lo.

Confira a fala do padre:

"Dada a celeuma que causou um comentário infeliz que fiz no final da missa desse último domingo, venho esclarecer. Mais que esclarecer, venho pedir desculpas, me retratar, porque trouxe aguns transtornos, e quem me conhece sabe que sou aquela pessoa que luta pela vida, a vida plena, desde a sua concepção até o seu fim natural, como o nosso Senhor pede e como é doutrina da nossa mãe Igreja. E, neste tempo de pandemia, quem me conhece, quem está próximo de mim sabe o quanto eu tenho me empenhado para preservar a vida, para cuidar da vida em todos os sentidos. Então, eu tenho que pedir desculpas àquelas pessoas que se sentiram ofendidas, machucadas com as minhas palavras. Espero que fique claro isto e tenho certeza de que vocês que têm um coração bom hão de reconhecer o meu erro e me perdoar por isto. Rezem por mim. Eu sou fraco também, sou pecador. Tenho as minhas misérias e preciso da misericórdia de todos vocês. Fiquem com Deus", disse.



Questionada se tomaria alguma medida, a paróquia não respondeu até esta publicação. 

A íntegra da missa pode ser vista abaixo: 




Por Época
Publicada por F@F em 25.08.2020

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.