Header Ads

OUÇA! Carlos Madson ataca mulheres do PSDB de Alagoinha e as chama de "galinhas"

A fala de Carlos Madson atingiu mulheres como a prefeita da cidade, a presidenta municipal do PSDB Jacielly Farias e a deputada estadual Camila Toscano, todas elas presentes ao evento

Empresário Carlos Madson teria cometido crimes de racismo e intolerância religiosa (Foto: Reprodução/ExpressoPB)

O empresário Carlos Madson, em áudio divulgado nas redes sociais, ataca as mulheres do PSDB de Alagoinha as quais, reunidas para um evento do partido, foram chamadas de "galinhas" pelo publicitário.

CONFIRA - “GALINHAS”: Marketeiro ataca mulheres que apoiam candidatura de Maria de Zé Roberto e pratica racismo e intolerância religiosa

Em matéria publicada no site ExpressoPB, o texto se refere a machismo, prática de crime de racismo e intolerância religiosa, já que Madson ainda disse: "as galinhas eram para bater tambor". No mesmo áuido, o empresário cita a prática do "bater tambor" das mulheres do PSDB "para ganhar do candidato adversário". 

Ouça AQUI fala de Carlos Madson e o repúdio da presidenta do PSDB de Alagoinha

A fala de Madson, considerada criminosa, repercutiu no programa 360 Graus, comandado em rede estadual de rádio pelo jornalista Dércio Alcântara. O PSDB Mulher e o Tucanafro da Paraíba emitiram nota, repudiando a atitude do empresário e dizendo que vão procurar a Justiça para garantir os direitos das mulheres presentes ao evento.

A fala de Carlos Madson atingiu mulheres como a prefeita da cidade, a presidenta municipal do PSDB Jacielly Farias e a deputada estadual Camila Toscano, todas elas presentes ao evento.

Nota de Repúdio


O PSDB Mulher e o Tucanafro da Paraíba repudiaram os ataques considerados racistas contra a prefeita Maria de Zé Roberto. Em uma publicação no Instagram os movimentos disseram que não vão aceitar qualquer tipo de manifestação de ódio, opressão e intolerância contra nossas religiões de Matriz Africana.

Jacielly Farias, presidente do Tucanafro, falou com exclusividade com o programa 360º, e disse que a reunião foi feita por mulheres dignas e todas merecem respeito: “A reunião não veio ofender ninguém, mas vieram nos chacotear”. Jacielly disse que racismo é crime e que coisas assim não podem mais passar batido: “Estamos procurando nossos direitos e a justiça”. 

Do Fato a Fato com ExpressoPB
Publicada em 21.09.2020

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.