Header Ads

Mourão contraria Bolsonaro e diz que governo comprará vacina chinesa

Em entrevista à revista ‘Veja’, vice-presidente disse que polêmica sobre imunização é apenas ‘briga política’ com João Doria e deu ‘nota oito’ ao enfrentamento da Covid-19 no Brasil

Mourão (Foto: Romério Cunha/Agência O Globo)
O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse em entrevista à revista “Veja” que o governo federal vai comprar a vacina do laboratório chinês Sinovac, desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo.

“Lógico que vai”, afirmou Mourão, contrariando o que o presidente Jair Bolsonaro tem dito sobre o tema. Na entrevista, o vice reduziu a polêmica sobre a “vacina chinesa” a uma briga política entre Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

“Essa questão da vacina é briga política com o Doria. O governo vai comprar a vacina, lógico que vai. Já colocamos os recursos no Butantan para produzir essa vacina. O governo não vai fugir disso aí”, disse Mourão à “Veja”.

As vacinas relacionadas à Covid-19 seguem em fase de estudos e, por isso, nenhuma delas tem aprovação para uso na população geral até agora. Nesta quarta (28), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a importação de matéria-prima para que o Instituto Butantan produza 40 milhões de doses da CoronaVac.

Na semana passada, a Anvisa já tinha liberado a importação de 6 milhões de doses da CoronaVac, que já virão envasadas e prontas para o uso. A aplicação, no entanto, só será autorizada depois que os estudos forem concluídos – e se as conclusões forem positivas.

Na entrevista à revista “Veja”, Mourão afirmou não ter receio de tomar vacina que venha da China. “Desde que esteja certificada pela Anvisa. Não tem problema nenhum”, afirmou.

Do G1
Publicada por F@F em 31.10.2020

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.