Header Ads

Biden vira sobre Trump e passa a liderar na Geórgia

Apuração ainda não terminou no estado. Se vencer na Geórgia, Biden chegará a 280 votos no Colégio Eleitoral e terá delegados suficientes para ser eleito o 46º presidente dos EUA

Joe Biden (Foto: Patrick Semansky/AP)
O candidato democrata Joe Biden virou sobre o republicano Donald Trump na manhã desta sexta-feira (5) na Geórgia, um dos estados decisivos para a eleição dos Estados Unidos, e agora está mais perto da Casa Branca.

Com mais de 99% da apuração projetada, o democrata lidera no estado com menos de mil votos de vantagem para o rival republicano. Biden tem 2.449.371 votos, contra 2.448.454 do atual presidente. A diferença no momento é de 0,02 ponto percentual (49,39% a 49,37%).

Um democrata não vence a eleição presidencial no estado desde Bill Clinton. Em 2016, Trump derrotou Hillary Clinton no estado por 51,05% a 45,89%.

Se vencer na Geórgia, Biden terá votos suficientes no Colégio Eleitoral para ser eleito o 46º presidente dos EUA. O democrata tem 264 delegados no momento e, com os 16 votos do estado, chegaria a 280 — dez a mais que o necessário para vencer a eleição.

Para Trump, o caminho é mais difícil. Ele tem 214 votos no Colégio Eleitoral e agora precisa virar de novo na Geórgia, passar Biden em Nevada e vencer na Carolina do Norte e na Pensilvânia, onde está liderando. Assim, o atual presidente americano chegaria a 271 — um a mais que o necessário.

Mesmo se perder no estado, Biden ainda pode atingir os 270 delegados se vencer em Nevada (6 votos), onde também lidera. Ainda é possível uma virada republicana no estado, mas os votos das regiões de Las Vegas e Reno devem manter a liderança democrata.

O ex-vice-presidente de Barack Obama também tem reduzido consideravelmente a vantagem do republicano na Pensilvânia (20 votos), o maior estado em disputa. A distância, que era de 14 pontos percentuais no começo da apuração, atualmente é de apenas 0,3.

Já Trump deve garantir a vitória na Carolina do Norte (15 votos) e no Alasca (3 votos), mas não é o suficiente para o presidente se reeleger.

Do G1
Publicada por F@F em 6.11.2020

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.