Header Ads

Flamengo liga versão 2019, vence bem o Coritiba e dorme na ponta da tabela

Bruno Henrique, Arrascaeta e Renê marcam no 3 a 1, que teve gol do filho de Bebeto pelo Coxa, no Maracanã. É a primeira vitória de Rogério no comando rubro-negro

Bruno Henrique comemora gol do Flamengo contra o Coritiba pela 22ª rodada do Brasileirão 2020 (Foto: André Durão)
Uma noite de sábado como se o torcedor do Flamengo entrasse no túnel do tempo. Pressionado após a eliminação na Copa do Brasil, o time de Rogério Ceni ativou a versão 2019, atropelou o Coritiba no Maracanã, pela 22ª rodada, e dormirá na liderança do Brasileirão. O 3 a 1, com gols de Bruno Henrique, Arrascaeta e Renê – Mattheus descontou – foi pouco, nas palavras do próprio goleiro adversário, para um time que finalizou quase 30 vezes e cansou de perder gols. Astral renovado do lado carioca, e sufoco no Z-4 do lado paranaense.

Na tabela

Com o resultado, o Flamengo chega aos 39 pontos em 22 jogos, e é o primeiro da classificação. Para terminar a rodada nesta posição, precisa ligar o secador no domingo contra o Atlético-MG, que tem 38 e visita o Ceará, o Internacional, que tem 36 e recebe o Fluminense, e o São Paulo, que pega o Vasco no Morumbi.

O próximo compromisso do time de Rogério Ceni pela competição está marcado somente para o dia 5 de dezembro, contra o Botafogo, no Maracanã, pela 24ª rodada. O duelo com o Grêmio, pela 23ª, foi adiado por conta dos confrontos com o Racing, pela Libertadores. Terça-feira, a equipe inicia as oitavas de final em Buenos Aires.

Já o Coritiba permanece na zona de rebaixamento, com 20 pontos em 22 partidas. Quarta-feira, a equipe terá pela frente o Corinthians, às 21h30 (de Brasília), no Couto Pereira.

Primeiro tempo

Em entrevista pouco antes de a bola rolar, Rogério Ceni definiu a postura do Flamengo no Maracanã: “Vamos jogar como o time de 2019”. Dito e feito. Desde o minuto inicial, a equipe foi intensa e agressiva. Logo aos três, Bruno Henrique abriu o placar após passe de Arrascaeta, que no lance seguinte perdeu grande chance na pequena área.

O Coritiba se fechava como podia e tentava sair em contra-ataque, mas o Flamengo era incansável. Com um festival de grandes passes de Arrascaeta, o time cansou de perder gols, principalmente com Bruno Henrique. O próprio uruguaio, então, assumiu a função e fez o segundo. Na saída para o intervalo, o goleiro do Coxa, Wilson, definiu o placar: “Foi pouco!”

Segundo tempo

O Flamengo não diminuiu o ritmo na volta do intervalo e já tinha desperdiçado duas chances claras nos primeiros cinco minutos. Bruno Henrique se apresentava, recebia bons passes, mas perdeu o duelo particular com o goleiro Wilson. O Coritiba tentava sair para o ataque e não tinha fôlego diante da marcação por pressão do time carioca.

Rodrigo Santana fez substituições, mudou o esquema com três zagueiros e parecia conseguir conter ao menos a avalanche rubro-negra. Uma tabelinha entre Renê e Vitinho, no entanto, resultou em golaço do lateral, que deu tranquilidade a Rogério Ceni. O treinador fez mudanças para poupar peças importantes, e Mattheus, filho de Bebeto, cria do Flamengo, chutou cruzado para fechar o placar no último lance da partida: 3 a 1.

Xô, má fase!

A vitória coloca fim a um jejum de quatro partidas do Flamengo sem vitórias e dá tranquilidade para a sequência da temporada. A atuação convincente renova a confiança para a partida de terça-feira, pela Libertadores, contra o Racing, mas fica uma lição da partida no Maracanã: as chances desperdiçadas. O ataque rubro-negro precisa melhorar a pontaria se não quiser passar sufoco contra adversários mais fortes.

A delegação viaja neste domingo, e a tendência é que Filipe Luís e Gabigol reforcem a equipe terça-feira, no Cilindro, em Avellaneda, pelas oitavas de final da Libertadores.

Super sincero!

Se teve alguém que passou imune ao jogo ruim do Coritiba, foi o goleiro Wilson. Foram muitas defesas difíceis diante de um Flamengo que finalizou 23 vezes. No duelo particular com Bruno Henrique, Wilson levou a melhor e parou o camisa 27 em chances claríssimas pelo menos três vezes. Ainda no intervalo, ele não escondeu a insatisfação com a performance de sua equipe e resumiu o 2 a 0 daquele momento: “Foi pouco!”

Do Globoesporte.com
Publicada por F@F em 22.11.2020

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.