Header Ads

ASSISTA! Jovem relata desespero ao achar bebê abandonado em mochila

Fernanda de Lara dos Santos, de 18 anos, foi a primeira a pegar o bebê no colo. Ela acompanhou todo o resgate do menino, que foi encaminhado a um hospital e passa bem

Caso aconteceu no litoral de SP (Foto: Reprodução/G1)
São Paulo (SP) - “Eu acho que Deus me fez passar naquele momento para salvar ele. Se a gente não tivesse passado lá, ele iria morrer”. O relato é da estudante Fernanda de Lara dos Santos, de 18 anos, em entrevista ao G1 neste sábado (8). Ela salvou o bebê abandonado dentro de uma mochila ao escutar o choro do recém-nascido, em Mongaguá, no litoral de São Paulo. A jovem foi a primeira a pegá-lo no colo e acompanhou todo o resgate do menino, que foi encaminhado a um hospital e passa bem.

CONFIRA! Jovem relata desespero ao achar bebê abandonado em mochila no litoral de SP

Fernanda explica que estava em um rio, junto com um amigo, próximo ao local onde o recém-nascido foi deixado, na noite desta quinta-feira (6). Ela conta que não tem o costume de ficar até a noite no local, mas nesse dia acabou permanecendo até mais tarde. Enquanto voltava, ouviu o choro do bebê e foi com o amigo até o local, em um matagal na Avenida José Cesário Pereira Filho, na altura do bairro Vera Cruz.

Eles registraram imagens que mostram como o menino estava após ser abandonado na mochila (veja vídeo acima). Na gravação, é possível observar o recém-nascido dentro da mochila fechada, enrolado em diversos panos, e o momento em que ele é desenrolado e visto pela primeira vez pelas pessoas que se reuniram na mata após o chamado da estudante.

Ao G1, Fernanda relatou que foi a primeira a pegar a criança no colo, e que não a soltou mais, por um instinto de proteção. A estudante conta que sonha em ser mãe, e que ficou horrorizada com a cena. Ela pediu ajuda a pessoas que passavam pelo local, enrolou o bebê em um cobertor e chegou a pedir carona. No meio do caminho, encontrou policiais militares, que a acompanharam até o hospital e passaram a atender a ocorrência.

“É uma revolta, de verdade. Senti como se fosse meu filho, só queria proteger. Tem tanta gente querendo ter um bebê, e você se pergunta como a mãe teve coragem. A pessoa teve o intuito de matar”, diz a jovem.

Fernanda revela que ficou muito emocionada e tocada com a história, não conseguindo dormir antes de ter notícias a respeito do recém-nascido, que permanece estável. Animada com a resposta positiva, ela conta que pretende reencontrá-lo assim que possível.

“Quando o peguei no colo, ele ficou olhando no meu olho, e eu tentava acalmar, passava a mão na testinha dele. Eu espero que um dia ele seja adotado por uma boa família, e que a pessoa conte para ele sobre o que aconteceu, e ele possa se reencontrar comigo. Para mim, dia 6 de maio nunca vai ser esquecido”, diz a jovem, emocionada.

Bebê está estável

Conforme apurado pelo G1, no momento em que deu entrada no Hospital e Maternidade Municipal Dra. Adoniran Correa Campos, onde recebeu os primeiros atendimentos, o bebê apresentava quadro de hipotermia, além de algumas escoriações, provavelmente causadas por insetos.

Segundo a Assessoria de Imprensa da Secretaria de Saúde do Estado, o bebê está internado na UTI do Hospital Regional Jorge Rossmann, em Itanhaém. A criança passou por exames, está sendo acompanhada na UTI neonatal e apresenta quadro estável. O menino agora está sob a responsabilidade do Conselho Tutelar.

O Conselho Tutelar de Mongaguá afirmou ao G1, por telefone, que acompanha a internação do bebê, mas reitera que o caso corre sob segredo de Justiça, portanto, não podem ser divulgadas informações a respeito do que será feito.

Do G1
Publicada por F@F em 08.05.2021

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.