Header Ads

Ex-secretário de Educação está foragido por suspeita de estuprar e aliciar duas alunas

Corporação disse que crimes aconteceram quando ele, que também era professor, ministrava aulas na cidade. Prefeitura afirmou que ele foi secretário municipal em 2020

Caso é investigado pela delegacia de Sítio D' Abadia, na região sul de Goiás (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
Goiânia (GO) - Um ex-secretário municipal de Educação e ex-professor é considerado foragido da Justiça por suspeita de estuprar e aliciar duas alunas adolescentes em Sítio D’ Abadia, na região sul de Goiás. A Polícia Civil informou que os crimes aconteceram quando o suspeito ministrava aulas na rede estadual de ensino da cidade e também atuava como funcionário público. As vítimas são menores de 14 anos, segundo a corporação.

O g1 não conseguiu contato com a defesa dele para que se posicionasse até a última atualização desta reportagem.

Em nota, a Prefeitura de Sítio D’ Abadia informou que o ex-secretário Hugo Alves Ribeiro não é mais efetivo, tendo atuado no município entre janeiro e dezembro de 2020. A prefeitura disse que “repudia veementemente os atos” e que colabora com as investigações.

A Secretaria de Estado da Educação informou que o ex-professor atuava por meio de contrato temporário, no qual não foi renovado em 2019. A pasta disse ainda que colabora com as investigações.

O delegado Caio Menezes, responsável pelo caso, informou que as investigações começaram em julho, após os pais de uma das adolescente procurarem o Conselho Tutelar e a corporação para denunciar o professor.

A polícia apurou que o suspeito se relacionava amorosa e sexualmente com adolescentes menores de 14 anos, dentre estas, alunas da rede de ensino municipal e estadual, nas épocas em que ocupava o público.

"Ele vem atuando ao longo de vários anos. Alguns fatos a gente descobriu em razão das perícias. A suspeita é de que ele vinha cometendo esses crimes há cerca de quatro anos", disse o delegado.

Pornografia no celular

A polícia informou que durante o cumprimento de mandados de busca e apreensão, foram apreendidos os aparelhos celulares e um notebook do acusado. De acordo com o delegado, foram localizadas inúmeras fotos íntimas de adolescentes que residem na região. A partir desta perícia, a policia conseguiu identificar a outra adolescente.

O delegado informou ainda que, durante as investigações, o suspeito chegou a ser preso temporariamente, mas conseguiu um habeas corpus e foi solto antes do inquérito ser finalizado.

Ao concluir o inquérito, no início do mês de setembro, a corporação pediu a prisão preventiva do acusado, o que foi decretado pela Justiça. No entanto, o professor seguia foragido até as 16h desta sexta-feira (24), conforme informou o delegado.

A Polícia Civil informou ainda que o inquérito foi remetido ao Ministério Público de Goiás, que ofereceu denúncia e foi aceita pela Justiça, o tornando réu no caso. Ele também responde pelo crime de pornografia infanto-juvenil.

Do g1 Goiás
Publicada por F@F em 24.09.2021

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.