Header Ads

OPINIÃO! Em artigo publicado em seu blog, Ikeda homenageia a poetisa Marisa Alverga

LUTO: Guarabira dá adeus a Marisa Alverga

Marisa Alverga e Ikeda (Foto: Arquivo Pessoal/Ikeda)
Guarabira (PB) perde uma de suas filhas mais ilustres, embora tenha sido pouco reconhecida nos últimos anos pelas autoridades do município… Eu perdi uma amiga com quem costumava conversar e dar boas gargalhadas. Uma senhora de espírito jovem. Uma mulher religiosa, sincera e de opinião, que tinha coragem para falar, que nunca me negou uma entrevista e não gostava quando eu buscava lhe tratar como ‘senhora’. “Me chame de você”, ela me pedia.

CONFIRA: LUTO: Guarabira dá adeus a Marisa Alverga

Flamenguista, mãe de Geraldinho e autora de livros, a escritora e poetisa guarabirense Marisa Alverga Cabral (83) deixa essa vida para entrar definitivamente na história do município como a primeira locutora de Guarabira, onde atuou também como professora, gerente regional do Sesc, e secretária de Cultura nas gestões de Zenóbio e Léa Toscano.

Quando criança, eu ouvia muito sobre dona Marisa. Mas a primeira vez que eu a vi de perto, apenas uma vez, foi quando ainda estudava do Colégio da Luz. Pessoalmente, porém, eu só a conheci no começo dos anos 2000, quando a convidei para uma participação no meu programa de rádio pela Guarabira FM. De lá para cá, a gente não perdeu mais o contato.

A última entrevista que Marisa me concedeu foi em 3 de março de 2021, sobre o Dia Internacional da Mulher. Eu a convidei por considerá-la e pelo respeito que lhe tinha – e ela sabia disso; e por entender que ela representava bem a mulher guarabirense. Com sinceridade e o bom humor que lhe era peculiar, ela falou de sua vida e obra.

Seu programa de rádio mais recente se chamava “Sem fronteiras”, e ia ao ar aos domingos pela Rádio Rural AM. O conteúdo era composto de boa música, crônicas e poesias – autorais e de outros autores nacionais e internacionais, com quem ela mantinha amizade.

Marisa me falava que era muita grata ao empresário João Rafael pelo espaço. Apesar de tudo, ela também lamentava pela falta de apoio e patrocínio ao seu horário que dispunha de um conteúdo relevante.

Marisa era muito querida, principalmente fora dos limites da nossa cidade – não era para ser assim, mas… Quando era convidada para alguma palestra ou lançamento de livro fora, geralmente era recebida com respeito e muito carinho. E isso lhe fazia bem.

Atualmente, Marisa Alverga estava presidindo a Academia Guarabirense de Letras. E não tinha intenção de parar de escrever e lançar livros.

Descanse em paz, Marisa. Agora você não precisa mais se emocionar ao falar do seu eterno filho Geraldinho…

À Márcia Alverga e família, os meus sentimentos nesse momento de difícil…

Por Joseilton Gomes, Ikeda (jornalista e blogueiro)
Publicado por F@F em 19.09.2021

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.