Header Ads

MPF investiga se reitor da UFPB violou regra ao passar através das cotas

Ao Portal MaisPB, o reitor Valdiney Gouveia confirmou estar ciente da investigação do MPF mas afirmou que, por ora, não se pronunciará sobre o assunto

Reitor Valdiney Veloso (Foto: Reprodução)
João Pessoa (PB) - O Ministério Público Federal (MPF) abriu nesta quarta-feira (02) um inquérito civil para apurar suspeita de favorecimento e/ou violação de regras do sistema de cotas na aprovação do reitor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Valdiney Veloso Gouveia, no Sistema de Seleção Unificada (SISU).

De acordo com o MPF, as investigações cumprem “dever de ofício” após conhecimento do fato público, uma vez que a notícia da aprovação do reitor está disponível na internet e foi veiculada nos mais variados sites de busca.

“Em rápida consulta em sites de buscas abertos, verifica-se várias informações de que de fato o reitor da UFPB, Valdiney Veloso Gouveia, foi aprovado pelo Sistema de Seleção Unificada-SISU/2022, para o curso de Engenharia de Produção na UFPB. Diante dos fatos, cumprindo dever de ofício, determino a Instauração de Notícia de Fato para apuração inicial da representação de eventual favorecimento e/ou violação de regras para o ingresso na UFPB pelo sistema de cotas, do qual se insere o SISU.”, pontua a procuradora da república Janaina Andrade, que conduz as investigações.

Valdiney Gouveia foi aprovado utilizando o sistema de cotas do SISU para se inscrever no curso de graduação em engenharia de produção na UFPB. Ele foi classificado 638,9 pontos por alegar ter sido estudante de escola pública.

Através das redes sociais, Valdiney anunciou a aprovação e publicou também fotos que seriam da sua época de escola e também um certificado de conclusão escolar equivalente ao ensino médio, o 2º grau.

Ao Portal MaisPB, o reitor Valdiney Gouveia confirmou estar ciente da investigação do MPF mas afirmou que, por ora, não se pronunciará sobre o assunto.

Do MaisPB
Publicada por F@F em 03.03.2022

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.