Header Ads

Confira as articulações dos pré-candidatos a senador da PB na escolha do suplentes

Pelos menos seis nomes apresentam-se para disputar o Senado

Seis nomes são pré-candidatos (Foto: Reprodução)
João Pessoa (PB) - O período de convenções partidárias se aproxima e com ele chega a necessidade de os pré-candidatos a Senador em escolherem quem serão seus candidatos à 1ª e 2ª suplência na disputa pela única vaga da Paraíba para o cargo nas eleições deste ano.

A preço de hoje são seis os pré-candidatos a senador no estado, e alguns deles ainda não definiram quem será seu suplente. O Polêmica Paraíba elenca a seguir como estão as articulações dos pré-candidatos com relação à 1ª suplência para a eleições deste ano. Eles estão dispostos em ordem alfabética.

Alexandre Soares (PSOL)

O pré-candidato a senador Alexandre Soares já tem definido quem ocupará a sua primeira suplência. Trata-se de Celso Batista. Ele foi presidente do PSOL em Campina Grande e é servidor do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB).

Bruno Roberto (PL)

Bruno Roberto terá como ‘companheiro de chapa’ o ex-assessor especial da presidência da República, o paraibano Tercio Arnaud Tomaz. O paraibano é acusado de comandar o chamado ‘Gabinete do Ódio’, em Brasília, que seria um grupo dentro do Palácio do Planalto que supostamente disseminava mensagens negativas contra adversários políticos de Jair Bolsonaro (PL).

Efraim Filho (União)

Ex-deputado estadual e ex-deputado federal, nos últimos meses Domiciano Cabral vinha ensaiando um retorno à política. Apoiador de Pedro Cunha Lima (PSDB) em sua pré-candidatura ao governo, especula-se que ele pode se juntar a Efraim Filho (União) e disputar o pleito como suplente do atual deputado federal.

Rangel Júnior (PCdoB)

Filiado ao PCdoB, Rangel Júnior explicou ao Polêmica Paraíba que o seu nome é indicação do seu partido para disputar o Senado pela federação partidária que é composta por PT, PCdoB e PV. Ele afirmou que a federação ainda está dividida, pois o PT tem o seu pré-candidato ao Senado, o ex-governador Ricardo Coutinho.

Ainda, afirmou que a questão da divisão será discutida nacionalmente, para saber quem a federação irá indicar para disputar a vaga. Caso Ricardo Coutinho seja escolhido pela federação e obtenha o direito de disputar o cargo judicialmente, uma vez que é inelegível, Rangel abriu a possibilidade de o próprio disputar a suplência com o ex-governador.

Por todo esse imbróglio, Rangel afirmou que ainda não definiu quem será seu suplente na disputa, pois, é possível que ele sequer seja referendado para disputar o cargo dentro da federação.

Ricardo Coutinho (PT)

Como citado anteriormente, Coutinho vive indefinições dentro da própria federação e também com a justiça. Caso ele consiga a vitória em ambas as frentes, especula-se que tanto o empresário Alexandre Santiago (foi suplente de Luiz Couto nas eleições para senador em 2018) como a sua esposa, Amanda Rodrigues, possam disputar a suplência nas eleições deste ano.

Além disso, foi adicionada a possibilidade de o próprio Rangel Júnior disputar uma vaga de suplente.

Sérgio Queiroz (PRTB)

O Pastor Sérgio Queiroz segue indefinido quanto ao assunto. Em resposta ao Polêmica Paraíba, o pré-candidato afirmou que as suplências ainda estão “em fase de avaliação”. Segundo ele, são quatro nomes que estão sendo avaliados.

Do Polêmica PB
Publicada por F@F em 10.07.2022

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.