Header Ads

CRISE? PT mostra pouca empolgação na defesa de Vené para o Governo da PB

Vale lembrar que desde o início o PT da Paraíba segue rachado, com a maioria da legenda apoiando a reeleição do governador João Azevêdo (PSB)

Veneziano e Nilda Gondim (Foto: Reprodução)
João Pessoa (PB) - O estremecimento entre MDB e PT na Paraíba é real. Apesar da coligação para as eleições estaduais neste ano, o clima no grupo ‘é de vaca desconhecer bezerro’.

Os petistas não escondem a insatisfação em terem seus nomes para vice rejeitados pelo grupo de Veneziano e escreveram uma carta batendo em retirada, mas reiterando apoio a Lula, para presidência e a Ricardo para o Senado. O nome do senador sequer foi citado como prioridade.

Nesta sexta-feira (22), por exemplo, o presidente estadual do PT, Jackson Macêdo, admitiu que esse processo de indicação e retirada foi desgastante e culpou a movimentação do presidente municipal do MDB, Mikika Leitão, como um dos responsáveis por esse desgaste.

“Eu acho que a posição de Mikika, naquele momento e também durante toda essa última semana, não ajudou muito na construção de uma unidade com relação à essa questão. A forma como um segmento ou uma figura pública do MDB [Mikika] tratou disso desgastou bastante e aí eu me coloco no lugar dessas pessoas quando eles decidiram escrever esse documento”, disse em entrevista à TV Arapuan.

Vale lembrar que desde o início o PT da Paraíba segue rachado, com a maioria da legenda apoiando a reeleição do governador João Azevêdo (PSB), a exemplo dos deputados Frei Anastácio e Anísio Maia. Segundo a dupla, pelo menos 70% da agremiação quer João e rejeita Veneziano. Agora, com esse clima nada ameno na reta final das convenções, a possibilidade de a dissidência contra Veneziano aumentar só cresce.

Do Blog do Ninja
Publicada por F@F em 25.07.2022

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.