Header Ads

Auditoria Fiscal do Trabalho promove a interdição temporária da Guaraves

A ação fiscal que resultou na interdição foi coordenada pela Chefe do Setor de Saúde e Segurança do Trabalho, Ana Mércia Vieira Fernandes

Interdição é temporária (Foto: Reprodução/Mário Sorrentino)
A Guaraves, uma das maiores indústrias do Estado da Paraíba, foi interditada pelas Autoridades Trabalhistas. O grupo econômico Guaraves tem atuação em diversos estados do Nordeste. A produção diária é de cerca de 100 mil frangos. 


A inspeção do trabalho ocorreu nesta segunda-feira, especificamente na parte relativa ao frigorífico, que emprega cerca de 1.000 trabalhadores, segundo apurou a reportagem do blog Mário Sorrentino. 

Os Auditores Fiscais do Trabalho verificaram o descumprimento de normas de proteção dos trabalhadores exigidas em face da pandemia decorrente da Covid 19. 

A ação fiscal que resultou na interdição foi coordenada pela Chefe do Setor de Saúde e Segurança do Trabalho, Ana Mércia Vieira Fernandes. Aos jornalistas, afirmou que, em face da pandemia da Covid 19,  os trabalhadores precisam realizar suas atividades observando as normas de segurança e saúde, com ênfase, nas condições sanitárias e de higiene, além do uso de EPI e da adoção de procedimentos de trabalho mais adequados para esse momento de tanta gravidade. 

Frisou que, apesar de reconhecer a dificuldade do momento, o respeito às normas de saúde e segurança é fundamental, não só para os próprios trabalhadores, como para a sociedade em geral. 

“Um empregado contaminado tem potencial para contaminar diversos outros trabalhadores e seus contactantes. Nesse sentido, não podemos deixar de exigir, com maior rigor ainda, o cumprimento das normas de proteção adequadas, incluindo o monitoramento da saúde dos trabalhadores", afirmou a chefe de SST da Superintendência Regional do Trabalho na Paraíba.

O Auditor Fiscal do Trabalho, Nei Alexandre, relatou à reportagem que a indústria não estava cumprindo as exigências de proteção dos empregados em razão da pandemia da Covid 19. 

“Os trabalhadores não estavam utilizando os EPIs necessários à segurança exigida para o momento. A empresa não  estava adotando algumas regras de higienização recomendadas, bem como faltavam aspectos básicos de cumprimento do distanciamento necessário entre os trabalhadores, na atividade”, afirmou a autoridade trabalhista.

O Auditor Fiscal do Trabalho, Leonardo Castro, que participou dos trabalhos, informou ao blog que cerca de 200 trabalhares foram testados. Desse total, 49 empregados estavam contaminados com o novo Coronavírus. 

“Nossa atuação visa principalmente minimizar a exposição das pessoas aos fatores de risco provenientes da pandemia da Covid 19. Neste contexto, efetivamos a aplicação das diretrizes estabelecidas pela Secretaria de Trabalho, aplicáveis ao setor de frigoríficos, entre outras normas de segurança e saúde no trabalho”, afirmou Leonardo Castro. 

Carlos Emmanuel também Auditor Fiscal do Trabalho, informou à imprensa que "a empresa não conseguiu executar um plano de vigilância epidemiológica que fosse capaz de detectar de forma precoce os casos de adoecimento ocorridos no local, bem como não adequou, de maneira eficaz, seu ambiente de trabalho de forma a garantir um distanciamento seguro entre os trabalhadores e que evitasse aglomerações".

Do Blog de Mário Sorrentino
Publicada por F@F em 19.05.2020, às 00h31

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.