Header Ads

Teotônio comenta aumento de salário de vereadores e diz: "se for prefeito, não quero aumento"

POSIÇÃO SENSATA: Teotônio comenta reajuste votado por vereadores de Guarabira e assegura que abre mão de aumento de salário de prefeito, em caso de eleição

Teotônio é pré-candidato a prefeito de Guarabira (Foto: Assessoria)
Pré-candidato a prefeito de Guarabira pelo PDT, Teotônio Assunção participou nesta quarta-feira (17) do programa radiofônico ‘A Hora da Mudança’, na Rádio Cultura FM, e foi questionado sobre a fixação dos subsídios do prefeito, vice, secretários e vereadores, aprovada semana passada, com previsão para vigorar a partir de 2022. Em resposta, ele disse respeitar a posição de cada vereador, que tem autonomia para votar de acordo com o entendimento, mas sua posição foi contrária ao reajuste, assim como votou sua esposa, a vereadora Neide de Teotônio (PDT).

“A minha posição é a posição da vereadora Neide de Teotônio. Ela votou contra, esse assunto foi discutido bastante lá em casa e não poderia ser diferente. Eu respeito bastante a Câmara de Vereadores, tenho uma relação muito boa e entendo que o vereador tem a autonomia de votar como lhe convém. É o momento de a Câmara mandar o projeto de lei, poderia até repetir a anterior, mas foi discutido e é uma questão ‘interna corporis’”, disse, se posicionando sobre o tema.

Mais adiante, Teotônio afirmou que estava aguardando a conclusão da votação da matéria na Câmara para falar de seu entendimento por ser pré-candidato a prefeito da cidade e, em tese, teria interesse na discussão, revelando que em caso de se eleger prefeito de Guarabira vai renunciar ao reajuste aprovado na Câmara, ficando com o valor pago atualmente.

“Eu deixei para comentar sobre essa questão polêmica depois da votação porque eu sou pré-candidato e em tese teria interesse direto ou indireto. Então eu quero dizer aqui neste programa, que vai ficar gravado, publicado nas redes sociais, que a partir de hoje em sendo eleito, quando chegar no dia de aplicar aquele aumento, eu vou renunciar expressamente ao valor do aumento do subsídio”, assegurou.

Pelo texto aprovado por maioria dos parlamentares, a partir de 2022, o subsídio do prefeito poderá chegar a R$ 25 mil (atualmente R$ 18 mil) e do vice-prefeito a R$ 12,5 mil (atualmente R$ 9 mil). Os valores dependem da arrecadação do município e a legislação prevê que a Câmara tem até o final do primeiro semestre do último ano do mandato para fixar os valores dos subsídios para a legislatura seguinte.

Da Assessoria
Publicada por F@F em 19.06.2020

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.