Header Ads

COLUNA A. SANTOS! Editor de Fato a Fato revela as chances de Nilvan em Jampa

Nilvan pode triunfar com ou sem Cícero e Ricardo

Caríssimo leitor (internauta);

Antonio Santos, editor de Fato a Fato (Foto: Reprodução)
O cenário pré-eleitoral em João Pessoa, além dos possíveis postulantes considerados "nanicos", pode ter outros desdobramentos que os habituais caso a Justiça, inclusive a eleitoral, se manifeste a impossibilitar as candidaturas de Ricardo Coutinho e Cícero Lucena. Ambos, sem entrar nos meandros de "seus" processos judiciais, vivem a incerteza de disputar a maior prefeitura do Estado da Paraíba.

As enquetes (sem cunho científico) têm apontado Cícero Lucena, Nilvan Ferreira, Ruy Carneiro e outros pré-candidatos em posição de confronto direto. Até Ricardo, mesmo não pontuando bem, surge, quase que lá no final de fila, mas o "Mago" vem chegando. Estando atualmente combalido pelos processos e ações judiciais impostos pela Operação Calvário, o ex-governador socialista não pode ser considerado "carta fora do baralho" na disputa pela Prefeitura de João Pessoa. Só se conhece a derrota de um guerreiro quando a batalha é finalizada. Antes, existem apenas suposições.

Pois bem. Com Cícero e Ricardo na disputa, o nome de Nilvan Ferreira surge como o novo de verdade. Nunca participou de campanha eleitoral, inclusive na Capital do Estado, é ficha limpa em todos os sentidos e possui uma popularidade fora do comum. Basta olhar para o instagram do radialista com mais de 300 mil pessoas inscritas. Isso, por si só, já é um ponto, eleitoralmente, favorável, observando que a campanha deste ano será, em grande escala, feita através da internet e das redes sociais.

A verve vocabular de Nilvan também lhe é muito favorável. Além de radialista competente, atualizado, combativo e sem temerosidade de enfrentar os adversário em quaisquer palanques ou tribunas, tem sido orientado pelo senador José Maranhão (presidente estadual do MDB) como deve enfrentar, nesse primeiro desafio em sua vida pública, os concorrentes à Prefeitura de João Pessoa.

Além do discurso firme, sem temor e medo de embates, o radialista e ex-âncora do programa Correio Debate (rádio) tem sua candidatura oriunda do meio popular, o cidadão comum, morador das comunidades carentes que lhe ouviam diariamente pela Rádio 98 FM. O cidadão e a cidadã pessoense conhecem Nilvan como se fossem irmãos, algo que na política partidária é considerado raro, no entanto o pré-candidato a prefeito pelo MDB saberá, durante a campanha, manter em sua agenda de contatos com o eleitorado. 

Num outro cenário, sem as presenças de Cícero Lucena e Ricardo Coutinho na disputa, a campanha do MDB à Prefeitura de João Pessoa vai ser consolidada, inclusive com grande chance de sucesso, num projeto de aposta em um candidato conhecedor dos principais problemas da cidade. Todos os dias no Correio Debate (rádio) Nilvan ouvia o cidadão pessoense sobre o que está dando certo e aquilo cuja a atual administração prometeu, mas mesmo durante 8 anos não conseguiu realizar.

Portanto, a radiografia geoadministrativa de João Pessoa Nilvan Ferreira as tem na palma das mãos, basta saber utilizá-la como instrumento de criação de seu Programa de Governo e fomentá-la nos palanques da campanha. Os conhecedores dos problemas de Jampa dizem que a cidade precisa de um administrador arrojado, capaz e sem medo de fazer as transformações que o município necessita, inclusive a partir de agora.

Se as primeiras enquetes não estiveram "vomitando" resultados falsos, tudo indica que esse novo administrador poderá ser o radialista Nilvan Ferreira. E não é por menos que o MDB da Paraíba está apostando todas as fichas em sua capacidade de vislumbrar um futuro muito melhor para João Pessoa. 

Portanto, com ou sem Cícero e Ricardo, o nome de Nilvan Ferreira, seguramente, é o novo na disputa pela Prefeitura de João Pessoa. "Os outros são os outros é só"

Um forte e sincero abraço a todos. Paz e bem!

ANTONIO SANTOS – Editor de Fato a Fato
Contatos com a coluna 99365-1823 (WhatsApp)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.