Header Ads

Cabo eleitoral da família Cozzolino é morta a tiros em Magé, no Rio

Na véspera do crime, Renata Castro registrou ameaça de morte na Polícia Federal. Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense vai investigar o caso e apura possível crime político

Renata Castro era cabo eleitoral da família Cozzolino em Magé, na Baixada Fluminense (Foto: Reprodução/Rede Sociais)
Uma cabo eleitoral da família Cozzolino foi morta a tiros em Magé, na Baixada Fluminense, na manhã desta sexta-feira (30). Renata Castro, de 40 anos, estava na porta de casa, na Rua Florêncio Vidal, no bairro Fragoso, quando foi atacada.

Nesta quinta-feira (29), véspera do assassinato, Renata esteve na Polícia Federal para fazer um registro de ameaça de morte.

Em nota, a PF afirmou que equipes já foram mobilizadas para estarem no local do crime, e que atua "de forma coordenada com a Justiça Eleitoral e acompanhando para verificar desdobramentos".

A família Cozzolino já esteve no comando da Prefeitura de Magé por diferentes mandatos. Nas redes socais, Renata fazia campanha para Renato Cozzolino.

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense informou que está trocando informações com a 65 DP (Magé), delegacia da área onde ocorreu o crime, para levantar informações que possam auxiliar na identificação da autoria do crime. Uma das linhas de investigações é que a motivação do crime seja política.

Em um vídeo publicado em uma rede social, ela afirmou na quinta-feira (29), em frente à Polícia Federal, que tinha feito uma denúncia contra a prefeitura de Magé.

No vídeo, em meio a críticas à prefeitura de Magé, ela fala sobre ameaças:

"Não adianta me ameaçarem de morte. Hoje, teve dois cidadãos que foram no prédio me ameaçar, me coagir. O que eu fiz ontem eu vou fazer amanhã, vou fazer depois de amanhã. Mais uma denúncia aqui na Polícia Federal".

Do G1 RJ
Publicada por F@F em 30.10.2020

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.