Header Ads

Cacique eleito prefeito em Pernambuco pode ter candidatura cassada

Entidade faz carta de solidariedade e lembra que processo que pode impugnar chapa de Marcos Xukuru foi iniciado em caso em que ele sofreu atentado

Cacique Marquinhos Xukuru, eleito prefeito de Pesqueira, em Pernambuco (Foto Divulgação Apib)
Eleito prefeito da cidade pernambucana de Pesqueira, Marcos Xukuru (Republicanos), o Cacique Marquinhos, pode ter a candidatura impugnada. Contra essa possibilidade, a Articulação dos Povos Indígenas Índios do Brasil (Apib) lançou nesta segunda-feira (7) uma carta de solidariedade a ele, subscrita por outras sete associações.

Na mensagem, a Apib diz que o processo que pode invalidar a chapa de Xukuru é uma “ação de base racista que foi movida pela atual prefeita da cidade, que concorria à reeleição e foi derrotada nas urnas por Marcos no dia 15 de novembro”. Maria José Castro Tenório (DEM) obteve 45,48% dos votos válidas na cidade, contra 51,6% recebidos pelo Cacique Marquinhos.

A eleição de Marquinhos levou a população de Pesqueira a dançar nas ruas para comemorar o feito. Ele recebeu o apoio de diversas lideranças progressistas, como o senador Paulo Paim (PT-RS) e a líder indígena Sônia Guajajara, que foi candidata a vice na chapa de Guilherme Boulos (PSOL) nas eleições presidenciais em 2018. Marquinhos ainda publicou foto com o ex-presidente Lula nas redes.

O processo

Em 2003, segundo a Apib, o indígena e seus seguranças teriam sido alvo de um atentado. No entanto, foi movido um processo de dano ao patrimônio privado contra ele. Com base nessa ação, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) indeferiu a candidatura de Marquinhos.

Agora, ele depende de uma reanálise do caso pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Se for favorável ao indígena, ele terá o direito à posse assegurado. E é para conclamar que esse resultado seja em prol de Marquinhos que a Apib divulgou o documento.

Da Revista Fórum
Publicada por F@F em 08.12.2020

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.