Header Ads

Coordenador do Gaeco revela que organização criminosa na PB continua em atividade

Ele revelou que as irregularidades cometidas pelo esquema criminoso não foram encerradas mesmo após a fase Juízo Final da Operação Calvário

Promotor Octávio Paulo Neto (Foto: Reprodução)
O promotor do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), Octávio Paulo Neto, em entrevista ao jornalista Clilson Júnior nesta quinta-feira (04), detalhou as mais recentes fases da Operação Calvário, que foram deflagradas hoje. Ele revelou que as irregularidades cometidas pelo esquema criminoso não foram encerradas mesmo após a fase Juízo Final da Operação Calvário.

"O objetivo dessa fase, na verdade, é responsabilizar esses atores por massivos desvios ocorridos nas pastas da Educação tanto na Prefeitura quanto no Estado. E isso só demonstra que os trabalhos da atuação da organização criminosa não cessaram. Não cessaram após o Juízo Final. Eles permanecem. Até porque, infelizmente a gente está num universo muito complexo", detalhou o promotor que coordena o Gaeco na Paraíba.

O promotor também pediu que os empresários que tenham sido prejudicados pelos crimes em investigação procurem o Ministério Público para denunciar.

''Agradecer a todos e dizer à população também, assim como a determinados corpos de empresários que eventualmente foram vítimas de determinadas condutas que conflitam com a legalidade, que busquem o Ministério Público, tanto Estadual quanto Federal para que a gente possa tomas as providências devidas face aos acontecimentos que estão chegando ao nosso saber'', disse.

Do ClickPB
Publicada por F@F em 04.02.2021

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.