Header Ads

Veneziano e Nilda Gondim assinam requerimento para prorrogação da CPI da covid-19

A CPI foi instalada em 27 de abril, com duração de 90 dias. Seu prazo atual se encerra daqui a 40 dias, em 7 de agosto

Senadores Veneziano e Nilda Gondim (Foto: Reprodução)
Campina Grande (PB) - A CPI a Covid-19 deverá ter seu funcionamento estendido por mais 90 dias no Senado. Ontem (28), o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), conseguiu as 27 assinaturas mínimas suficientes para a prorrogação dos trabalhos no Senado, até a manhã dessa quarta-feira (30), o requerimento já tinha 33 assinaturas. Dentre os que assinaram, estão os senadores pela Paraíba Veneziano (MDB) e Nilda Gondim (MDB). A senadora Daniella Ribeiro do PP decidiu seguir a orientação do seu partido e não assinou requerimento. O Partido Progressista é alvo das investigações da CPI, por meio do deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), que é líder do governo do presidente Jair Bolsonaro.

Apesar de Daniella ter reafirmado a importância de que todas as responsabilidades sejam devidamente apuradas e que os autores de possíveis irregularidades respondam conforme a lei, a parlamentar não quer que a CPI estenda suas investigações, para apurar os supostos crimes do deputado Ricardo Barros que é do grupo do também deputado federal é irmão de Daniella, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

A CPI foi instalada em 27 de abril, com duração de 90 dias. Seu prazo atual se encerra daqui a 40 dias, em 7 de agosto. As 27 assinaturas vai permitir a prorrogação automática dos trabalhos da comissão, assim como prevê o regimento interno do Senado. O próximo passo é comunicar o requerimento à Mesa Diretora do Senado para que o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), o leia em plenário.

Covaxin

Na justificativa do pedido para prorrogá-la, Randolfe argumenta que a “vasta” documentação recebida e os fatos levantados até agora demandam um aprofundamento das investigações, em especial o caso da Covaxin.

“A CPI tem desvendado esquemas de corrupção e de favorecimento de determinadas empresas com recursos destinados ao combate à pandemia da Covid-19. Servidores sofreram pressões não republicanas para flexibilizar a importação da Covaxin. Depoentes apontaram que até o presidente da República foi alertado das irregularidades e, ao invés de apurá-las, as creditou ao próprio líder do Governo da Câmara dos Deputados”, escreveu o senador.

Ranfolfe, inclusive, em conjunto com Jorge Kajuru (Podemos-GO) e Fabiano Contarato (Rede-ES), apresentou nesta segunda-feira (28) notícia-crime contra o presidente Jair Bolsonaro por prevaricação — impedir o funcionamento da administração para satisfazer interesse pessoal, no caso da vacina Covaxin.

Veja a lista dos senadores que assinaram o pedido de prorrogação da CPI:

"1. Randolfe Rodrigues

2. Jorge Kajuru

3. Izalci Lucas

4. Omar Aziz

5. Eliziane Gama

6. Fabiano Contarato

7. Weverton

8. Flávio Arns

9. Mara Gabrilli

10. Alessandro Vieira

11. Zenaide Maia

12. Tasso Jereissati

13. Plínio Valério

14. Otto Alencar

15. Oriovisto Guimarães

16. Leila Barros

17. Jaques Wagner

18. José Serra

19. Renan Calheiros

20. Paulo Paim

21. Humberto Costa

22. Paulo Rocha

23. Rogério Carvalho

24. Jean Paul

25. Veneziano

26. Simone Tebet

27. Cid Gomes

28. Nilda Gondim

29. Reguffe Rodrigues

30. Rodrigo Cunha

31. Eduardo Braga

32. Jarbas Vasconcelos

33. Jader Barbalho

Do Jornalismo Informativo
Publicada por F@F em 30.06.2021

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.