Header Ads

Idoso é preso por engano em João Pessoa por crime cometido em Alagoas

De acordo com a Polícia Civil da Paraíba, o erro foi cometido pela Justiça de Alagoas, por meio de uma falha de digitação por parte de quem emitiu o mandado de prisão

Sede da Central de Polícia Civil de João Pessoa, na Paraíba (Foto: Polícia Civil da Paraíba/Divulgação)
João Pessoa (PB) - Um idoso de 64 anos, morador de João Pessoa, foi preso por engano na última terça-feira (19) por um homicídio cometido no estado de Alagoas. Ricardo José Santos da Silva não tem antecedentes criminais, mas teve o nome registrado em um mandado de prisão, que deveria ter sido expedido em nome de José Ricardo da Silva Santos, suspeito do crime.

De acordo com a Polícia Civil da Paraíba, o erro foi cometido pela Justiça de Alagoas, através de uma falha de digitação por parte de quem emitiu o documento. A história foi descoberta pela família do idoso, que, em contato com autoridades de Alagoas, entendeu de que forma aconteceu a irregularidade.

Os familiares contam que foram surpreendidos na manhã de terça (19) com a chegada da polícia alegando ter um mandado de prisão por um homicídio que aconteceu em 2019. Desde então, através da intermediação de um advogado, tentam que o erro seja corrigido.

A Justiça alagoana reconheceu a falha e emitiu um alvará de soltura em nome de Ricardo José Santos da Silva. Na tarde desta quinta-feira (21) o advogado do homem preso injustamente entrou, ainda, com um pedido de habeas corpus.

No entanto, a Justiça da Paraíba ainda não autorizou a soltura do idoso, e ele pode dormir pela terceira noite seguida na carceragem da Central de Polícia Civil de João Pessoa

Idoso passou mal em delegacia

De acordo com as informações de familiares, Ricardo José Santos da Silva é hipertenso, diabético e tem depressão. Ele é, ainda, insulino-dependente e estava desde terça sem receber o medicamento. Na manhã desta quinta (21), Ricardo passou mal na carceragem e teve que ser socorrido pela família. A filha do idoso aplicou a insulina e esse foi o único momento, segundo ela, que pôde estar em contato com o pai.

Procurada pelo g1, assessoria do Tribunal de Justiça da Paraíba disse não ter informações sobre em que passo estão os trâmites de soltura.

Do g1 Paraíba
Publicada por F@F em 22.10.2021

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.